Artigo

«A Última Vez que Vi Macau» vence Prémios Sophia

«Até Amanhã Camaradas», de Joaquim Leitão, foi outro dos mais premiados na cerimónia que distingue a melhor produção do cinema português.

«A Última Vez que Vi Macau», de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, recebeu o Prémio Sophia de Melhor Filme, enquanto Joaquim Leitão venceu o Prémio Sophia para Melhor Realizador com o filme «Até Amanhã Camaradas», na terceira edição dos Prémios Sophia que decorreu no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Rita Durão, com "Em Segunda Mão", obteve o prémio para Melhor Atriz, enquanto o de Melhor Ator foi para o desaparecido Pedro Hestnes, também pela interpretação no mesmo filme.

O Prémio de Melhor Atriz Secundária foi atribuído a Beatriz Batarda, pela interpretação em «Comboio Noturno para Lisboa», e o de Ator Secundário a Adriano Luz, pelo seu papel em «Até Amanhã Camaradas».

O Prémio de Melhor Diretor de Fotografia foi para Rui Poças, por «A Última Vez que Vi Macau», também distinguido como Melhor Argumento Original, para João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

João Braz, com «É o Amor», venceu o prémio Sophia para Melhor Montagem e André Marques, com «Luminita», obteve o galardão para Melhor Curta-Metragem de Ficção.

O Prémio de Melhor Curta-Metragem de Animação foi para «Alda», de Luís Catalo, Ana Cardoso, Filipe Fonseca e Liliana Sobreiro, e o de Melhor Curta-Metragem Documentário para «Lápis Azul», de Rafael Antunes.

A distinção para Melhor Documentário coube a «A Batalha de Tabatô», de João Viana, e o de Melhor Guarda-Roupa a Maria Gonzaga e Maria Amaral, por «Até Amanhã Camaradas».

Augusto Mayer, com «Comboio Noturno para Lisboa», venceu Direção de Arte e o de Melhor Caracterização foi atribuído a Sano de Perpessac, pelo mesmo filme.

Já o Prémio de Melhor Som foi para Carlos Alberto Lopes e Branko Neskov, pelo filme «Até Amanhã Camaradas», enquanto Rodrigo Leão venceu o de Melhor Música, com «O Frágil Som do Meu Motor».

A Academia atribuiu ainda prémios de carreira ao diretor de fotografia Eduardo Serra, ao produtor Henrique Espírito Santo e ao realizador José Fonseca e Costa.

Numa cerimónia dedicada à música no cinema português, Gisela João cantou «Não venhas tarde», do filme «Lavadeiras de Portugal», Noiserv tocou «Palco do Tempo», do filme «José & Pilar», Pedro Abrunhosa cantou «Se eu fosse um dia o teu olhar», de «Adão e Eva», Pedro Jóia reinterpretou «Verdes Anos», de Carlos Paredes, e Sérgio Godinho recuperou «Balada da Rita», do filme «Kilas, o Mau da Fita».

A Academia Portuguesa de Cinema anunciou que a quarta edição dos prémios acontecerá a 2 de abril de 2015.

Comentários