Artigo

Angelina Jolie pede que líderes africanos combatam a violência contra mulheres

A atriz e enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados falou da quase total impunidade da violência contra as mulheres.

A atriz Angelina Jolie pediu esta sexta-feira que os dirigentes africanos combatam a quase total impunidade que dificulta, segundo ela, acabar com a violência contra as mulheres.

«A violência contra as mulheres continua a ser tratada como um crime menor», afirmou Jolie, dois dias antes do início de um encontro da União Africana (UA) na África do Sul.

«Grupos armados usam-na como arma preferencial porque há uma quase total impunidade», acrescentou a enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

«É claro que não é um problema apenas africano, e sim mundial, mas poucos lugares sofrem tanto como a África», afirmou ainda.

Dezenas de chefes de Estado do continente africano participarão no encontro cujo tema será o «Ano do Empoderamento da Mulher e Desenvolvimento».

Comentários