Artigo

«Argo» vence prémio de Melhor Filme do Sindicato dos Produtores

Com a conquista do troféu máximo da Producers Guild of America, «Argo» passa a ser o favorito à vitória nos Óscares, tendo apenas a não nomeação de Ben Affleck à estatueta dourada de Melhor Realizador como barreira à vitória.

Desde 1989 que a Producers Guild of America (PGA), uma organização que agrega cerca de 4700 produtores de cinema e televisão dos EUA, atribui anualmente o troféu para o melhor filme do ano. E nos últimos 23 anos, só oito vezes é que esse galardão não coincidiu com o Óscar de Melhor Filme. A fiabilidade na equivalência entre os dois prémios pode ser aferida pelo facto de que, quando a Academia mudou o número de nomeados ao troféu principal de cinco para até 10, a PGA fez exatamente o mesmo (fixando-se mesmo na dezena), assumindo também a mesma alteração no processo de votação.

Nos últimos cinco anos, os cinco vencedores da PGA conquistaram o Óscar de Melhor Filme, pelo que a vitória de «Argo» o colocaria assim na «pole position» da corrida às estatuetas douradas. O único problema reside no facto do seu diretor Ben Affleck não ter sido também nomeado ao Óscar de Melhor Realização, o que quer dizer que, caso ganhe o troféu de Melhor Filme, «Argo» será a primeira película desde «Miss Daisy», em 1989, que não tem essa dupla nomeação.

Refira-se que os 10 nomeados para Melhor Filme da PGA coincidem quase exactamente com os nove nomeados aos Óscares, com «Amor» a ser o único que chega ao Top da Academia e não ao da PGA, que colocou ainda na sua lista «Moonrise Kingdom» e «007 - Skyfall», fora da corrida ao Óscar principal.

Na categoria de Melhor Longa-Metragem de Animação, o vencedor foi «Força Ralph», da Disney, que começa a ganhar um favoritismo na corrida ao Óscar, que no início da corrida parecia ir para «Frankenweenie», de Tim Burton.

Eis a lista completa de vencedores:

Prémio Darryl F. Zanuck para Produtor do Ano em Cinema: Ben Affleck, George Clooney e Grant Heslov por «Argo»

Produtor do ano de Longa-Metragem de Animação: Clark Spencer por «Força Ralph»

Produtor do ano de Documentário de Longa-Metragem: Malik Bendjelloul e Simon Chinn por «Searching For Sugar Man»

Produtor do ano de Telefilme ou Mini-série: Gary Goetzman, Tom Hanks, Jay Roach, Amy Sayres, Steven Shareshian, Danny Strong por «Game Change» (HBO)

Produtor do ano de Série Dramática: Henry Bromell, Alexander Cary, Michael Cuesta, Alex Gansa, Howard Gordon, Chip Johannessen, Michael Klick, Meredith Stiehm por «Homeland - Segurança Nacional» (Showtime)

Produtor do ano de Série de Humor: Cindy Chupack, Paul Corrigan, Abraham Higginbotham, Ben Karlin, Steven Levitan, Christopher Lloyd, Jeff Morton, Dan O’Shannon, Jeffrey Richman, Chris Smirnoff, Brad Walsh, Bill Wrubel, Danny Zukerpor «Uma Família Muito Moderna» (ABC)

Produtor do ano de Programa de Não-Ficção: Prudence Glass, Susan Lacy, Julie Sacks por «American Masters» (PBS)

Produtor do ano de Entretenimento ao Vivo ou Talk Show: Meredith Bennett, Stephen Colbert, Richard Dahm, Paul Dinello, Barry Julien, Matt Lappin, Emily Lazar, Tanya Michnevich Bracco, Tom Purcell, Jon Stewart por «The Colbert Report» (Comedy Central)

Produtor do ano de Concurso Televisivo: Jerry Bruckheimer, Elise Doganieri, Jonathan Littman, Bertram van Munster, Mark Vertullo por «The Amazing Race» (CBS)

Produtor do ano de Programa de Desporto: «Real Sports with Bryant Gumbel» (HBO)

Produtor do ano de Programa Infantil: «Sesame Street» (PBS)

Produtor do anos de Série para a Internet: «30 Rock: The Webisodes» (www.nbc.com)

Comentários