Artigo

Ator Brontis Jodorowsky vai estar em Lisboa para apresentar novo filme no MOTELx

O ator vai apresentar «La Danza de la Realidad» no âmbito do Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que começa a 10 de setembro.

O ator Brontis Jodorowsky vai estar em Lisboa para apresentar o novo filme do pai, Alejandro Jodorowsky, «La Danza de la Realidad», em estreia nacional no Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa (MOTELx), que começa a 10 de setembro.

De acordo com a organização, o ator, de 52 anos, que interpreta agora o papel do seu próprio pai nesta longa-metragem autobiográfica, estará presente no festival para a estreia do filme que, de acordo com o programa, será exibido no dia 14.

Outra novidade do festival é a exibição, no sábado, às 21:30, no Largo de São Carlos, em Lisboa, do filme «Gremlins, O Pequeno Monstro», de Joe Dante, para assinalar os trinta anos do aniversário dos pequenos monstros, criados em 1984. A entrada é livre, mas sujeita à lotação do espaço, com cerca de 400 lugares.

O filme «Life After Beth», de Jeff Baena, abre oficialmente o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa (MOTELx), a 10 de setembro, mas o certame começa com um «warm-up» (aquecimento) na sexta-feira, com uma noite de «Poesia Tumular», sessões de cinema ao ar livre e uma parada «zombie».

O filme de abertura é a primeira longa-metragem de Jeff Baena, argumentista de «Os Psico Detetives», que chega às salas de cinema 11 anos após a criação do argumento.

A encerrar o certame, a organização do MOTELx propõe outra «divertida comédia romântica zombie» intitulada «Stage Fright», de Jerome Sable, protagonizada por Meat Loaf, nome artístico de Michael Lee Aday.

A única secção competitiva do festival, o Prémio MOTELx – Melhor Curta de Terror Portuguesa, regista, este ano, «um notável aumento de inscrições», de acordo com a organização, e apresenta 13 curtas-metragens.

No concurso vão ser exibidas «Bodas de Papel» (2014), de Francisco Antunez, «Contactos 2.0» (2014), de Bernardo Gomes de Almeida e Rodrigues Duvens Pinto, «Demência» (2014), de Rafael Almeida, «Dentes e Garras» (2013), de Francisco Lacerda, «Epoh» (2013), de Pedro Pinto, «Forbidden Room» (2013), de Emanuel Nevado e Ricardo Almeida, «Gata Má» (2013), de Eva Mendes, Joana de Rosa e Sara Augusto, «Maria» (2014), de Joana Viegas, «A Morte é o Único Perdão» (2014), de Rui Pilão, «Offline» (2014), de Pedro Rodrigues, «Pela Boca Morre o Peixe» (2014), de João P. Nunes, «Schadenfreude – De Morrer a Rir» (2014), de Leonardo Dias, e «Se o Dia Chegar» (2014), de Pedro Santasmarinas.

O júri é composto pelo ator e realizador Gonçalo Waddington, a diretora do Shortcutz Porto, Luísa Sequeira, e o realizador francês Julien Maury. O prémio é constituído pelo valor pecuniário de 3.000 euros e «um fim de semana de inspiração num hotel».

A secção «Quarto Perdido», dedicada a filmes históricos portugueses, faz este ano especial referência à denominada «literatura negra» e exibe «O Cerro dos Enforcados», de Fernando Garcia, a partir do conto «O Defunto», de Eça de Queiroz, e «Os Canibais», de Manoel de Oliveira, a partir da obra homónima de Álvaro do Carvalhal.

Comentários