Artigo

Ator despedido de «Ted 2» após acusações de pedofilia

Conhecido como o carinhoso reverendo pai de família da série «Sétimo Céu», já perdeu o papel no filme no filme Seth MacFarlane, mas esse pode ser o menor dos seus problemas.

Hollywood está a ser atingida por um escândalo de proporções ainda difíceis de calcular: Stephen Collins está a ser acusado de pedofilia. A polícia está a investigar as alegações nas duas costas dos EUA, que podem ir até ao abuso de uma rapariga em 1972.

Após uma gravação áudio em que alegadamente admite ter abusado sexualmente de três raparigas menores ter sido divulgada pelo sítio TMZ, o ator foi dispensado do filme «Ted 2», atualmente em rodagem. Apenas a 4 de outubro, este comentara no Twitter que podia falar do seu papel, mas depois seria assassinado por Seth MacFarlane.

Na sequência das acusações, Stephen Collins, de 67 anos, também se demitiu da direção do sindicado dos atores (Screen Actors Guild). Entre os filmes em que participou estão «Os Homens do Presidente» (1976), «O Caminho das Estrelas» (o primeiro «Star Trek», 79), «Uma Mulher dos Diabos» (86), «A Minha Mãe Stella» (90), «O Clube das Divorciadas» (96) e «Diamante de Sangue» (06).

O ator, mais conhecido como o carinhoso reverendo pai de família da série familiar «Sétimo Céu» (1996-2007), agora também retirada da programação de um canal, está envolvido num processo de divórcio com a atriz Faye Grant, que alega ter descoberto «a vida secreta do marido» após 27 anos de casamento. A gravação terá sido feita em 2012 durante uma sessão de terapia sem seu conhecimento e entregue às autoridades para investigação criminal. Grant nega qualquer envolvimento na sua divulgação pública.

Comentários