Artigo

Autarca de Gaia quer «Óscar honorário» para cineasta Manoel de Oliveira

O presidente da Câmara de Gaia, Luís Filipe Menezes, defendeu que o Porto «tem obrigação» de homenagear Manoel de Oliveira e avançou com a ideia de «criação de um lobby» que conduza à atribuição de um «Óscar honorário» ao cineasta.

Na inauguração da avenida Manoel de Oliveira, Menezes defendeu que a região do Porto está «obrigada» a prestar homenagem a Manoel de Oliveira através de uma «enorme manifestação popular».

«Ele [Manoel de Oliveira] nunca teve a homenagem popular que merece. Em dezembro [data em que o realizador, natural do Porto, cumpre 105 anos de vida] espero que existam condições para fazer uma enorme manifestação popular. Numa grande praça do Porto, com um enorme bolo oferecido pelas confeitarias do Porto, com os excedentes de vinho do Porto das nossas caves, dezenas de milhares de pessoas que estimam Manoel de Oliveira devem juntar-se e homenageá-lo, promovendo, também, a região», disse o presidente da autarquia de Gaia.

Luís Filipe Menezes disse, ainda, que a Academia Europeia de Cinema «deve ajudar o Porto, os portugueses, mas sobretudo os portuenses» a fazerem lobby para que, «no próximo ano» o cineasta Manoel de Oliveira receba um «Óscar honorário em Hollywood».

«Temos obrigação de fazer esse lobby em nome da polivalência e do amor à vida deste homem e pelo seu trabalho e nome que deu à cultura portuguesa», concluiu o autarca.

Estas declarações foram proferidas por Menezes na presença do filho de Manoel de Oliveira, Casimiro de Oliveira, que também marcou presença na inauguração da Avenida que tem, a partir de hoje, o nome do seu pai.

Esta nova via de Vila Nova de Gaia vai, de acordo com o presidente da câmara, «redesenhar a cidade» através de uma «dupla lógica» que se centra na criação de «vias urbanas e suburbanas mais organizadas com vista à criação da cidade do futuro».

A nova avenida Manoel de Oliveira une a via Rosa Mota e a rotunda Engenheiro Edgar Cardoso (Devesas) e «integra-se na construção da terceira fase da circular do Centro Histórico».

Comentários