Artigo

Brasileiros Orient vão gerir salas de cinema de dez centros comerciais portugueses

As salas de cinema de dez centros comerciais da Sonae Sierra, encerradas desde fevereiro, reabrem até final do ano segundo acordo alcançado entre aquele grupo português e os brasileiros Orient, que ficarão responsáveis pela sua exploração.

A informação, confirmada hoje à agência Lusa por fonte oficial do grupo Sonae Sierra, resulta de um acordo já celebrado com o grupo Orient, novo operador que vai passar a atuar no mercado português, para exploração das salas de cinema de dez centros comerciais, com a marca «Cineplace». É o caso do AlgarveShopping, do Centro Comercial Continente de Portimão, do Estação Viana Shopping, do LeiriaShopping, LoureShopping e do MadeiraShopping. Ainda as salas de cinema do Parque Atlântico, do Serra Shopping, do RioSul Shopping e da 8.ª Avenida.

«A abertura dos complexos nos dez centros comerciais irá ser faseada na medida em que os diferentes processos necessários para a sua abertura estejam concluídos, sendo objetivo das duas empresas ter todas as salas a operar até ao final de 2013», sublinhou a Sonae Sierra.

Em causa está a decisão da exibidora Socorama Cinemas que, no final de janeiro, encerrou as 49 salas de cinema que explorava em centros comerciais daquele grupo em todo o país. A administração alegou 12 milhões de euros de dívidas a fornecedores e avançou com um pedido de insolvência, para tentar recuperar financeiramente a empresa.

Segundo a Sonae Sierra, o grupo Orient é «um importante operador» com presença no mercado brasileiro «há mais de 20 anos», estando ainda a operar no mercado angolano há seis anos, «sendo uma referência em qualidade, tecnologia e sinónimo de programação inteligente e bem elaborada».

«O grupo é líder no mercado de exibição de filmes no nordeste do Brasil. Está entre as 20 maiores empresas do ramo no Brasil com uma presença constante no Box office das cinco maiores bilheteiras», sublinha a Sonae Sierra.

O grupo Orient registou, em 2012, uma faturação global de cerca de 30 milhões de euros, com mais de 4,5 milhões de espetadores nas suas salas, e desde 2007 tem em curso um processo de internacionalização em África, que agora alarga a Portugal.

«É um operador com experiência, conhecimento da indústria e capacidade comprovada para operar com sucesso. Com este contrato, a Sonae Sierra reforça o seu empenho em proporcionar uma oferta comercial e de lazer diversificada em todos os seus centros comerciais», explicou Cristina Santos, responsável pela gestão de centros comerciais da Sonae Sierra em Portugal.

Já o presidente do grupo brasileiro, Aquiles Mônaco, afirma que a entrada no mercado português representa «um importante passo na estratégia de internacionalização» da Orient, prevendo a introdução de «novas abordagens» no mercado nacional.

Comentários