Artigo

Capitão América bate recordes de bilheteira na estreia dos EUA

Com 96,2 milhões de dólares de receita na bilheteira norte-americana no primeiro fim-de-semana, «Capitão América: O Soldado do Inverno» tornou-se o filme estreado em abril com maior «box-office» de sempre.

Empurrado pelo sucesso planetário de «Os Vingadores», que arrecadou mais de mil milhões de dólares nas bilheteiras de todo o mundo, o segundo filme do Capitão América protagonizado por Chris Evans, «Capitão América: O Soldado do Inverno», faturou 96,2 milhões de dólares no primeiro fim-de-semana nos EUA, batendo o anterior recordista de abril, «Velocidade Furiosa 5», que em 2011, somou 86,2 milhões, divulgou o site especializado BoxOffice Mojo.

Aquele valor representou ainda uma impressionante subida em relação ao fim-de-semana de estreia do primeiro filme do super-herói, «Capitão América: O Primeiro Vingador», de nada menos de 48%, uma ascensão superior ao de outras fitas recentes da Marvel, como «Thor: O mundo das Trevas» (30%) e «Homem de Ferro 3» (36%).

«Capitão América: O Soldado do Inverno» estreou no fim-de-semana anterior ao dos EUA em vários países do mundo, incluindo Portugal, o que leva a que o filme já tenha arrecadado mais de 300 milhões de dólares em todo o mundo, 207 dos quais fora dos EUA.

Depois da aventura colorida da Segunda Guerra Mundial de «Capitão América: O Primeiro Vingador» e do épico explosivo «Os Vingadores», Chris Evans volta a encarnar o super-herói mais patriota em «Capitão América: O Soldado do Inverno», agora em toada de «thriller» de espionagem. Os realizadores agora são os irmãos Anthony e Joe Russo mas regressam à ação Scarlett Johansson, Samuel L. Jackson e Cobie Smulders, nos papéis de Natasha Romanoff, Nick Fury e Maria Hill. Por seu turno, Anthony MacKie estreia-se em grande no universo Marvel a interpretar o super-herói Falcão, e Robert Redford vai encarnar um oficial senior da SHIELD, em homenagem aos «thrillers» políticos que protagonizou nos anos 70, como «Os Três Dias do Condor».

Comentários