Artigo

Classificação etária de «As Cinquenta Sombras de Grey» criticada nos EUA

Um grupo conservador considera que a classificação não alerta os pais adequadamente para os conteúdos do filme.

Morality in the Media [Moralidade nos Media, em tradução literal), um grupo de vigilância anti-pornográfica nos EUA, lançou fortes críticas à classificação etária que foi atribuída ao filme «As Cinquenta Sombras de Grey».

Baseado no romance erótico de E. L. James, a adaptação cinematográfica recebeu um «R» da Motion Picture Association of America (MPAA), o que significa que, por causa dos seus conteúdos, só pode ser visto por maiores de 17 anos a menos que estejam acompanhados por um adulto.

De acordo com a organização, a classificação «diminui grandemente os temas violentos presentes no filme e não informa adequadamente os pais para os seus conteúdos».

Uma objeção específica é a utilização da expressão «comportamento invulgar e nudez gráfica» por parte da MPAA para descrever o conteúdo do filme.

«O que o termo «invulgar» não leva em conta é a coerção, violência sexual, desigualdade feminina e temas BDSM [Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo] em que se baseia todo o enredo de «As Cinquenta Sombras de Grey», defendem os objetores. «Uma avaliação tão vaga coloca os espectadores em risco, enviando a mensagem que a humilhação é prazer e que a tortura devia ser sexualmente gratificante», acrescentam.

De acordo com a Morality in te Media, a descrição devia ser a seguinte: «Promove a tortura como sexualmente gratificante, nudez gráfica, incentiva a perseguição e abuso de poder, promove a desigualdade feminina, exalta e legitima a violência contra as mulheres».

«As Cinquenta Sombras de Grey», protagonizado por Jamie Dornan e Dakota Johson, estreia a 12 de fevereiro.

Comentários