Artigo

Comédia «Que Mal Fiz Eu a Deus?» considerada racista por americanos e ingleses

O filme francês que também foi um sucesso no nosso país sobre pais católicos cujas filhas casam com homens de outras religiões foi considerado demasiado «politicamente incorreto».

Os espetadores de cinema na Grã-Bretanha e Estados Unidos não vão ver o grande sucesso da comédia francesa de 2014 porque foi rejeitado pelos distribuidores de cinema por ser considerado politicamente incorreto e até racista.

«Que Mal Fiz Eu a Deus?» conta a história de um casal de católicos cujas filhas casaram com homens de outras origens étnicas e religiosas: um muçulmano árabe, um judeu africano e um chinês. As esperanças residem na mais nova, mas os pais descobrem horrorizados que esta ficou noiva de um natural da Costa do Marfim.

Em França, onde foi visto por mais de 12 milhões de espetadores, «Qu'est-ce qu'on a fait au Bon Dieu» foi considerado um hino à homogeneização em França que recorria ao escárnio para promover a tolerância multicultural, ajudando desta forma a combater os preconceitos veiculados pela Frente Nacional, partido político que recolhe cada vez mais apoios.

Ainda que reconheça que os franceses podem ser racistas, a mensagem parece ser a de que o bom senso vai prevalecer e no fim todos se vão entender, mas de acordo com a produtora, «Que Mal Fiz Eu a Deus?» não chegará ao público anglo-saxónico porque «atualmente este não se permite rir de negros, judeus ou asiáticos».

Em Portugal, o filme estreou a 24 de julho e já foi visto por mais de 100 mil espetadores.

Comentários