Artigo

De Melissa Leo a Nuno Lopes, o Fest convida grandes nomes do cinema

O Fest – Novos Realizadores, Novo Cinema – decorre em Espinho entre 19 e 26 de junho. Além de nomes do cinema internacional, como Melissa Leo, também Nuno Lopes é uma das presenças confirmadas.

Um grande elenco de técnicos e profissionais do cinema internacional estará em Portugal para o FEST (Festival Novos Realizadores – Novos Cinemas), festival de cinema que decorre entre 19 e 26 de junho em Espinho. O evento também inclui uma seleção competitiva de filmes e o Pitching Forum – onde os cineastas podem apresentar os seus projetos a um painel de produtores, agentes de talentos e financiadores de topo.

As “masterclasses” que são proferidas durante o evento na secção “Training Ground” abrangem as mais diversas áreas da produção cinematográfica.

Entre elas, vale a pena destacar desde logo o “Design” de Produção (com Allan Starski, de “O Pianista” e “A Lista de Schindler”), Escultura para Cinema (com Brian Muir, de "Star Wars" e "Guardiões da Galáxia"), Direção de Fotografia (com Ed Lachman, de “Carol” e “Erin Brokovich”), Edição de Som (com Eddy Joseph, de "Harry Potter" e “Cold Mountain”), Desenho de Títulos e Créditos (com Ricard Morrison, de “Sombras da Escuridão” e “Batman”) e Produção de Cinema (Iain Smith, de “Mad Max: Estrada da Fúria” e “Os Filhos do Homem”), entre outros.

A atriz Melissa Leo, vencedora do Óscar por "The Fighter", também tem presença confirmada, tal como Nuno Lopes, que ganhou um prémio no Festival de Veneza por "São Jorge".

Em termos de programação cinematográfica, serão exibidos filme provenientes de 40 países, a maioria curtas-metragens. Em termos de longas, 11 filmes competem pelo Lince de Ouro.

Cabe ao escandinavo “Tom of Finland”, de Dome Karukoski, as honras de abertura – uma biografia sobre um dos ícones da cultura homoerótica. O encerramento fica a cargo do espanhol “The One Eyed King”, de Marc Crehuet.

Cinema na praia

Uma das características singulares do festival é a atração de um vasto público das escolas de cinema europeus – num evento essencialmente internacional.

Fernando Vasquez, diretor do Fest, conta que os objetivos principais de possibilitar treino nas áreas técnicas, promover novos cineastas e servir de plataforma de financiamento acompanham o evento desde o surgimento, há 14 anos.

No caso do "Training Ground", por exemplo, são possibilitados contactos entre o público e grandes profissionais da área técnica.

“Basta um breve olhar para a nossa lista de convidados para perceber que eles próprios reconhecem a pertinência e a importância do nosso evento”, observa.

O Fest também pretende servir como ponto de partida para novos projetos e o "Pitching Forum" está aberto a todos que tenham um projeto devidamente formatado.

Segundo Vasquez, “se a ideia for boa e tiver pernas para andar, nós multiplicamos os nossos esforços para contribuir para a sua realização. Ainda na última edição do Festival de Berlim estreou um filme [o turco “Inflame”, de Ceylan Ozçelik] cujos primeiros passos foram dados no Fest”.

Apesar do público principal ser composto por estudantes, muitos dos quais provenientes de fora, o certame novamente procura a aproximação da população de Espinho.

“Não é fácil nestes dias onde o público anda um pouco divorciado das salas de cinema, mas vamos sempre tentando adaptar os nossos objetivos às necessidades da população local”, refere o diretor do Fest.

Neste sentido, uma das novidades é uma secção competitiva dedicada às crianças e as atividades realizadas na praia.

Comentários