Artigo

Edição do DocLisboa 2014 promete expansão e ambição

O festival de cinema documental decorre em outubro e vai incluir retrospetivas do realizador holandês Johan Van Der Keuken, do neorrealismo e novos realismos.

A 12.ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema, que se realiza entre 16 e 26 de outubro, continuará a estar presente na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca e no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada, e contará com dois novos espaços de exibição: o Cinema Ideal, situado junto ao Largo de Camões, ao Bairro Alto, com abertura prevista para agosto, e o Cinema City Campo Pequeno.

O objetivo é dinamizar ainda mais a relação de programação entre o público das várias salas e evidenciar a presença do DocLisboa na capital, que depois de ter conhecido um auge de afluência em 2010, quando o festival também foi maior em programação, reduziu-se a partir daí até chegar a cerca de 25 mil espetadores em 2013, «em consequência da crise», de acordo com Cíntua Gil, um dos membros da direção.

Este ano, no festival, estará em foco o cineasta holandês Johan Van Der Keuken (1938-2001), com uma retrospetiva inteiramente dedicada ao seu trabalho, considerado de referência na história do documentário. Ao longo de mais de quatro décadas de carreira, o realizador nascido em Amsterdão criou 55 documentários, seis deles premiados, e também escreveu nove livros sobre filmes e fotografia, outra das áreas da sua eleição.

Outra retrospetiva será "Neorrealismo e Novos Realismos", com «L’Amore in Città», uma antologia de seis filmes que conta entre os realizadores Federico Fellini, Michelangelo Antonioni e Dino Risi, a integrar uma das sessões.

Na programação, ainda a ser desenhada, mantêm-se as secções do festival: competições portuguesa e internacional, Investigações, Riscos, Heart Beat, Cinema de Urgência, Verdes Anos, Passagens e Doc Alliance.

Comentários