Artigo

Elia Suleiman conversa hoje com o público em Lisboa

O realizador Elia Suleiman regressa hoje ao Lisbon & Estoril Film Festival para realizar um encontro com o público, onde falará sobre a sua carreira e os seus projectos. O evento, a ter lugar no Espaço Nimas, é de entrada livre.

Comparado muitas vezes a Jacques Tati ou Buster Keaton, pela conjugação exemplar entre elementos burlescos e poéticos nos seus filmes, Elia Suleiman é um dos mais conceituados cineastas mundiais.

O realizador palestiniano viveu um período em Nova Iorque, cidade onde viria a assinar dois trabalhos: um como co-director, «Introduction to the End of an Argument», uma sátira à representação do povo árabe nos Media ocidentais; e outro em nome próprio, «Homage by Assassination», um documentário profundamente crítico da Guerra do Golfo, em que utiliza declarações anedóticas de alguns dos ex-combatentes.

A partir de 1994 estabeleceu-se em Jerusalém, para criar o curso de Cinema e Comunicação Social na Universidade de Birzeit. Actualmente, leciona em várias Universidades mundiais.


Com o filme «A Intervenção Divina», foi selecionado para a Competição Oficial do Festival de Cinema de Cannes de 2002. Foi nesse filme que conheceu a sua mulher, Yasmine Hamdan, cantora que dará um concerto no âmbito do Lisbon & Estoril Film Festival, no dia 11, no CCB.

O seu último filme, «O Tempo Que Resta» (2009), retrata o nascimento do Estado de Israel, desde a fundação, em 1948, até aos nossos dias. Nele, o realizador, recria situações familiares inspiradas em memórias pessoais, nos diários do seu pai — que combateu na resistência palestiniana— e nas cartas que a sua mãe escreveu a familiares que foram forçados a abandonar o país.

Comentários