Artigo

Emma Stone faz revelação surpreendente sobre os seus colegas masculinos em Hollywood

A vencedora do Óscar de Melhor Atriz por "La La Land" falou sobre a reação de alguns dos seus colegas masculinos perante a forma como ela era afetada pelas diferenças salariais entre homens e mulheres na indústria cinematográfica.

Não é a primeira vez que Emma Stone se exprime em público sobre a necessidade de existir igualdade salarial em Hollywood, mas agora fez uma revelação surpreendente sobre o tema: alguns dos seus colegas masculinos cortaram no seu salário para evitar a discriminação.

"Na minha carreira até agora precisei que os meus colegas atores fizessem um corte salarial para eu poder ter paridade com eles", revelou numa entrevista para a Out Magazine com a realizadora Andrea Riseborough e a tenista Billie Jean King, que a vencedora do Óscar por "La La Land: Melodia de Amor" retratou no ainda inédito "Battle of the Sexes".

A atriz já trabalhou mais do que uma vez com vários atores (Ryan Gosling, Steve Carell, Andrew Garfield), mas não revelou quais tiveram esse gesto.

"Foi algo que eles fizeram por mim porque sentem que é o que está correto e justo. Isso é algo que também não é necessariamente debatido — que para nós termos igualdade salarial vai ser necessário as pessoas altruisticamente dizerem 'Isso é que é justo'", defendeu.

Emma Stone acrescentou ainda que a disparidade entre atores e atrizes é sustentada pelo sistema de "quotas" utilizado pela indústria, em que o salário é calculado com base no que ganharam em filmes anteriores.

"Se o meu colega masculino, que tem uma quota mais alta do que a minha mas acredita que somos iguais, aceita um corte salarial para eu conseguir igualá-lo, isso muda a minha quota no futuro e muda a minha vida", esclareceu.

"Isto não é sobre 'As mulheres são isto e os homens são aquilo', é 'Nós somos todos o mesmo, somos todos iguais, merecemos todos o mesmo respeito e os mesmos direitos", concluiu.

Comentários