Artigo

«Exterminador Implacável»: o mito de Arnold Schwarzenegger começou há 30 anos

A sua reputação consolidou-se com «Terminator», o seu melhor e mais famoso papel. Quais os melhores e piores filmes de uma carreira tão extraordinária quanto improvável?

«Em 2029, super-computadores dominam o mundo, determinados a eliminar a raça humana! Para destruir o futuro da humanidade enviam um cyborg indestrutivel - um Exterminador (Schwarzenegger) - para o passado, com a missão de matar Sarah Connor (Linda Hamilton), a futura mãe do líder da resistência humana.»...

Esta era a sinopse oficial de «O Exterminador Implacável», agora a fazer 30 anos: foi a 26 de outubro de 1984 que chegou às salas norte-americanas o filme com que James Cameron se estreou efetivamente na realização (e com esta afirmação não estamos a esquecer que, na verdade, isso aconteceu com «Piranha II - O Peixe Vampiro», em 1981, mas não recomendamos a ninguém lembrar-lhe a má experiência).

Oficialmente, James Cameron apenas realizou e co-escreveu o argumento - com a então namorada, em breve esposa, Gale Anne Hurd -, mas, personalidade de fortes convicções, a sua influência nota-se em todas as áreas de produção: foi com «Terminator», um «thriller sci-fi» de terror, que Cameron, então com 29 anos, apostou tudo.

Existe quem defenda que, na verdade, foi graças à sequela, «Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento» (1991), que se cimentou o estatuto de clássico que hoje é reconhecido a «T1». Todavia, a sequela é, antes de mais, uma emocionante evolução do universo original: a transformação de Sarah Connor (Linda Hamilton) ou o vilão passar a herói (a popularidade de ator protagonista a isso obrigava) foram jogadas de génio de Cameron, e é evidente a notável evolução técnica, mas a essência de «T2» e sequências inteiras vêm inteiramente do primeiro filme.

Não obstante todo o talento reunido atrás das câmaras, decisivo para o sucesso ou fracasso foi a escolha do protagonista. E Arnold Schwarzenegger revelou-se uma «casting» perfeito: a sua icónica performance como vilão, quando já tinha 36 anos, confirmou as suas credenciais como grande estrela de ação.

É o seu melhor e mais famoso papel, aquele que lhe garante a imortalidade realmente ao alcance de poucas estrelas de cinema. Por isso, não é por acaso que, após «Exterminador Implacável 2: O Dia do Julgamento» (1991) e «Exterminador Implacável 3 - Ascensão das Máquinas» (2003), ele esteja de regresso, aos 66 anos, para «Terminator: Genisys», o quinto filme da saga, que estreia a 1 de julho de 2015.

A pretexto dos 30 anos da sua personagem mais famosa, reunimos os filmes de Schwarzenegger que, clássicos ou simplesmente populares no seu tempo, contribuíram para a criação da sua mitologia e... os outros, que nem o seu poder conseguiu salvar.

Comentários