Artigo

Festival de Cannes abre hoje com polémica e sem portugueses na competição

O Festival de Cinema de Cannes abre hoje, em França, ensombrado por alguma polémica, por causa do filme de abertura, «Grace de Mónaco», de Olivier Dahan, sobre Grace Kelly, que foi rejeitado pela família real monegasca.

A família da princesa Grace não deverá estar presente no festival, nem tão pouco apoia a exibição do filme, argumentando que a história real foi adulterada para fins “puramente comerciais”.

Na competição, o festival conta com filmes de Jean-Luc Godard, Mike Leigh, David Cronenberg, Ken Loach, Tommy Lee Jones e Olivier Assayas.

O realizador francês Jean-Luc Godard, de 83 anos, que nunca recebeu um prémio em Cannes, apesar de ter estado várias vezes nomeado para a Palma d’Ouro, concorre este ano com o filme “Adieu au langage”.

Destaque ainda para o filme «Saint Laurent», um “biopic” assinado por Bertrand Bonello sobre o designer de moda falecido em 2008, poucos meses depois do Jalil Lespert ter exibido no festival de Berlim outro filme biográfico sobre Yves Saint Laurent.

Fora de competição, Cannes estreará a longa-metragem «Pontes de Sarajevo», composto por curtas-metragens de 13 realizadores europeus, entre os quais Teresa Villaverde, com o filme «Sara e sua mãe».

Na secção "Un Certain Regard", serão mostradas algumas primeiras obras, entre as quais «Lost River», realizada pelo ator norte-americano Ryan Gosling, «La chambre bleue», de Mathieu Amalric, produzido por Paulo Branco, e «The salt of the earth», de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado.

O júri que atribuirá a Palma de Ouro será presidido pela realizadora neozelandesa Jane Campion.

Nos eventos paralelos de Cannes, na Quinzena de Realizadores, será exibida a curta-metragem «A caça revoluções», de Margarida Rêgo, animação experimental sobre fotografia, que tem como mote a revolução de abril de 1974.

Para a Semana da Crítica foi selecionada a curta-metragem «Boa noite Cinderela», com a qual o realizador Carlos Conceição recupera o conto popular da Gata Borralheira, numa "versão mais carnal".

Os dois filmes foram exibidos no festival IndieLisboa.

O festival de Cannes termina no próximo dia 25.

Comentários