Artigo

Festival de cinema FESTin 2017 vai ser dedicado às mulheres

Mais de 70 filmes serão exibidos no festival entre 1 e 8 de março. O encerramento será com "Elis", de Hugo Prata, sobre a cantora brasileira Elis Regina.

O Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa - FESTin dedicará a oitava edição, em março em Lisboa, às mulheres e fará uma parceria com a programação da Capital Ibero-Americana de Cultura, foi hoje anunciado.

Adriana Niemeyer e Leia Teixeira, responsáveis pelo festival, anunciaram hoje a programação do FESTin, que contará com a exibição de mais de 70 filmes entre 1 e 8 de março no cinema São Jorge.

Apesar de tentar ser abrangente na representatividade do cinema que é feito nos países de língua oficial portuguesa, a verdade é que a programação centra-se sobretudo no Brasil e em Portugal, por terem uma produção de cinema substancialmente maior, reconheceram.

"Não é fácil fazer um festival de língua portuguesa. Temos muita dificuldade em conseguir alguns filmes", lamentou Leia Teixeira, dando como exemplo os casos de Angola, de São Tomé e Príncipe e mesmo de Portugal, cuja exibição neste caso é disputada por vários festivais de cinema.

Por ser dedicado às mulheres e à relação com o cinema e audiovisual, as duas programadoras destacaram a presença dos documentários "Langidila, Diário de um Exílio sem Regresso" (Angola), de José Rodrigues e Nguxi dos Santos, sobre a nacionalista Deolinda Rodrigues, e "Mulheres que Cuidam de Mulheres" (Brasil), de Otavio Chamorro e Fábio Brasil.

Haverá ainda uma retrospetiva da obra da realizadora portuguesa Margarida Gil e a exibição de "Migas de Pan" (Espanha e Uruguai), de Manane Rodriguez, no âmbito de Lisboa, Capital Ibero-Americana de Cultura.

A encerrar o festival, no Dia Internacional da Mulher, será exibido "Elis", de Hugo Prata, sobre a cantora brasileira Elis Regina e protagonizado pela atriz Andreia Horta, que estará em Lisboa.

Também previstas estão duas mesas redondas dedicadas às mulheres, nos dias 2 e 6.

Da programação geral sobressaem sobretudo filmes brasileiros, em particupar primeiras longas-metragens, como "Animal Político", de Tião - cujas curtas-metragens foram já exibidas em Cannes -, "Come Back", de Erico Rossi, e "Para Ter Onde Ir", de Jorane Castro.

Destaque ainda para a exibição de "Quase Memória", de Ruy Guerra, moçambicano radicado no Brasil, que conta com as interpretações de Tony Ramos e Mariana Ximenes, estando confirmada a presença da atriz em Lisboa.

Do cinema português o FESTin programou, entre outros, duas longas-metragens, ambas em antestreia nacional: "A Floresta das Almas Perdidas", filme de terror de José Pedro Lopes, e "Uma vida à Espera", de Sérgio Graciano.

O FESTin é organizado pela Asssociação Cultura e Cidadania da Língua Portuguesa.

Comentários