Artigo

Filme de Bradley Cooper, Emma Stone e Rachel McAdams acusado de insultar o Havai

Desde a apropriação do palavra «Aloha» como título até à utilização do Havai para as «fantasias de brancos», o filme de Cameron Crowe está na mira dos habitantes locais do arquipélago.

«Aloha», a comédia romântica realizada por Cameron Crowe («Jerry Maguire» e «Quase Famosos») que junta Bradley Cooper, Emma Stone e Rachel McAdams, bem como Bill Murray, John Krasinski e Alec Baldwin, está envolvida em várias polémicas no Havai.

A começar pelo título: alguns responsáveis locais defendem que a utilização de «Aloha» simplifica um termo com um significado muito rico e é uma apropriação desrespeitosa da cultura local: não se trata apenas de um cumprimento, mas também de uma palavra que significa amor, compaixão, misericórdia e bondade.

«Aloha resulta da junção de duas palavras havaianas: «alo», que significa a parte da frente de uma pessoa, a parte dos nossos corpos que partilhamos e com que acolhemos as pessoas, e «ha», que é a nossa respiração», explicou Janet Mock, muito crítica do título do filme, num programa do canal MSNBC. «Quando estamos na presença um do outro com a parte da frente dos nossos corpos, estamos a trocar o sopro da vida».

Já Ty Kawika Tengan, responsável pelo departamento de estudos étnicos da Universidade do Havai, considera que o termo tem sido utilizado de formas tão diferentes, tornando-se um slogan, que se afastou completamente do importante contexto indígena local: «Foi romantizado, literalmente, numa comédia romântica».

Indo ao encontro das outras críticas que «Aloha» tem enfrentado nos últimos dias, o professor salientou ainda que o trailer é um exemplo típico de como Hollywood usa «o fundo verdejante das ilhas para as fantasias de brancos».

A esse propósito, a organização Media Action Network for Asian Americans (MANAA) lançou um comunicado em que expressa a sua desaprovação pelo facto dos responsáveis pela produção se esquecerem que os polinésios constituem a maioria da população daquele que é o 50º Estado dos EUA.

«Os caucasianos representam apenas 30% da população, mas vendo este filme dir-se-ia que são 99%. Isto vem na sequência de muitos filmes - «Os Descendentes», «A Minha Namorada Tem Amnésia», «A Onda dos Sonhos, «Pearl Harbor» - que usam o Havai pelo seu fundo exótico mas fazem tudo o que podem para excluir as pessoas que ali vivem. Trata-se de um insulto para a diversidade cultural e o tecido do Havai».

Em «Aloha», que foi rodado na principal ilha do arquipélago em 2013 quando ainda não tinha título oficial e é o primeiro filme de Cameron Crowe desde «Comprámos um Zoo!» em 2011, um célebre militar (Bradley Cooper) regressa ao local dos seus maiores sucessos de carreira - Havai - e reencontra um amor de há muito tempo (Rachel McAdams) ao mesmo tempo que de forma inesperada se apaixona pela sua parceira no projeto, uma jovem e promissora piloto da Força Aérea (Emma Stone).

A estreia em Portugal está marcada para setembro.

Comentários