Artigo

Filme do dia: «Pietà»

O vencedor do Leão de Ouro no último Festival de Cinema de Veneza é o mais recente filme do prolífico realizador sul-coreano Kim Ki-duk, que tem dado polémica pelo cruzamento de religião com sexualidade.

Kang-do é um homem sem coração e sem família, cujo trabalho é o de ameaçar homens em dívida para com o seu cliente, um usurário que pede várias vezes o valor do dinheiro que empresta. Como garantia de que pagarão as suas dívidas, os devedores assinam uma espécie de seguro, que Kang cobra magoando-os de forma brutal. Um dia, ele recebe a visita de uma mulher estranha e de meia-idade que diz a ser a sua mãe há muito desaparecida. Nas semanas seguintes, a mulher segue-o teimosamente enquanto ele continua a fazer o seu trabalho, mas ele acaba por começar a comover-se com ela.

«Pietà» é a 18ª longa-metragem do prestigiado realizador sul-coreano Kim Ki-duk, que assinou filmes como «O Bordel do Lago», «Primavera, Verão, Outono, Inverno… e Primavera», «Samaritana» e «Ferro 3».

A relação de Kang com a suposta mãe, que inclui cenas de violência e sexualidade explícita cruzadas com forte imagética religiosa, têm gerado grande controvérsia, algo que tem sido recorrente na carreira do cineasta.

«Pietà» é exibido hoje, 3 de março, às 21h15 no Grande Auditório do Rivoli, no Porto; e repete na segunda-feira, dia 4, às 23h00, no Pequeno Auditório do Rivoli.

Comentários