Artigo

Filme português “A Fábrica de Nada” ganha prémio máximo no Festival de Cinema de Sevilha

A obra de Pedro Pinho foi escolhida a melhor da mostra competitiva do Festival de Sevilha, que encerra amanhã. É mais um ponto positivo para o currículo internacional do projeto, lançado na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes, que vence assim o Giraldillo de Oro na 14ª edição do evento.

“Western” de Valeska Grisebach, vence o Grande Prémio do Júri e “Insyriated” de Philippe van Leeuw o Prémio do Público. Já “Barbara”, de Mathieu Amalric, também a sessão de encerramento, rendeu o reconhecimento de Melhor Realizador ao francês. Os distinções principais distribuem-se ainda entre Selene Caramazza (Melhor Atriz por “Corazón Puro”) e Pio Amato (Melhor Ator por “A Ciambra”).

O Festival, iniciado dia 3, contou com forte presença portuguesa (a Competição incluía também “Ramiro”, de Manuel Mozos) distribuída por várias seções e também uma retrospetiva completa das obras de António Reis e Margarida Cordeiro.

A Gala desta noite vai entregar ainda à atriz dinamarquesa Trine Dyrholm, uma das musas do Dogma 95, o prémio “Ciudad de Sevilla” pelo conjunto da sua carreira.

Sete produções ou coproduções portuguesas estiveram em competição neste festival, que tem por objetivo promover o cinema de produção europeia.

Foram ainda homenageados António Reis e Margarida Cordeiro, "duas lendas do cinema português", com a retrospetiva "Lejos de las Leyes", que decorreu ao longo de todo o certame, e encerra hoje com a projeção de "Mudar de Vida", de Paulo Rocha (filme escrito em parceria com António Reis).

Fora de competição é também exibido hoje "O Ornitólogo", de João Pedro Rodrigues, distinguido com o prémio de melhor realização em Locarno, em 2016.

Comentários