Artigo

Filme sobre Nelson Mandela estreia em novembro

Estreia em novembro o filme baseado na autobiografia de Nelson Mandela, «Longo caminho para a liberdade». O ator Idris Elba terá a missão de interpretar o papel de protagonista.

O biopic vai mostrar as memórias do líder sul-africano, da infância à liderança política, passando pelas lutas, pela prisão e pela libertação que o conduziram à presidência do país, feito inédito para um negro na África do Sul pós-apartheid.

Mandela começou a escrever sua biografia em 1974 enquanto estava preso em Robben Island. Só a terminou depois da sua libertação, em 1990, após 27 anos de prisão.

É o ator britânico Idris Elba que terá a missão de dar vida no grande ecrã a Nelson Mandela, uma das personalidades mais respeitadas do mundo.

«Estamos honrados por ter a autorização de Madiba para levar a sua fascinante história de vida ao cinema», disse o produtor do filme, Anant Singh.

O produtor contou ter ficado muito feliz quando Mandela olhou para imagens de Elba e perguntou: «o que estou ali a fazer?».

«Este reconhecimento e esta afirmação de Madiba é muito importante, e faz pensar que valeu a pena querer levar o projeto adiante», explicou Singh.

«Longo caminho para a liberdade» foi publicado em 1994 e traduzido em diversos idiomas. Singh comprou os direitos para fazer o filme em 1996.

O livro narra como os anos de clandestinidade, de luta armada e prisão de Mandela se confundem com o combate pela liberdade na África do Sul, minada por 40 anos de apartheid.

O filme contou com a participação de um elenco sul-africano e foi filmado em diversos locais do Cabo oriental, província natal de Mandela. Além disso, foi também rodado em Joanesburgo e na Cidade do Cabo.

De acordo com os produtores, este é o único filme que teve a autorização de Mandela e da Fundação Nelson Mandela, centro que trabalha em prol da luta do ex-presidente. Mesmo assim, o percurso de Mandela já foi tema de diversos filmes e documentários.

Nelson Mandela, que não faz aparições públicas desde a final do campeonato do Mundo de futebol, em 2010, na África do Sul, está completamente fora da cena política. Já este ano, foi hospitalizado diversas vezes devido a complicações respiratórias.

Comentários