Artigo

Filmes de Portugal, Japão e Hungria vencem Festival de Curtas-Metragens de Évora

Três filmes, um de Portugal, outro do Japão e um da Hungria, foram os grandes vencedores do 14.º Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora (FIKE).

Três filmes, um de Portugal, outro do Japão e um da Hungria, foram os grandes vencedores do 14.º Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora (FIKE), nas categorias de animação, ficção e documentário, revelou hoje a organização.

Promovido pela Sociedade Operária de Instrução e Recreio (SOIR) Joaquim António d’Aguiar, o certame começou no dia 3 e terminou este domingo.

Em comunicado divulgado hoje, a organização revelou a lista de premiados, referindo que o filme “Limoeiro”, da realizadora portuguesa Joana Silva, conquistou um dos troféus FIKE 2017, como “Melhor Animação”.

O júri do festival galardoou com os outros dois troféus FIKE 2017 o filme “And So We Put Goldfish In The Pool”, do realizador japonês Makoto Nagahisa, como “Melhor Ficção”, e “Pulse”, da realizadora Robin Pétre, da Hungria, como “Melhor Documentário”.

Na edição deste ano do certame, foram também premiadas pelo júri, com diplomas, mais três curtas-metragens, que estiveram a concurso na categoria de animação.

“A Brief History of Princess X” [foto], de Gabriel Abrantes, recebeu o diploma de “Melhor Argumento” e, no mesmo filme, a atriz Joana Barrios conquistou o diploma de “Melhor Representação”, sendo o de “Melhor Fotografia” destinado a “Import”, de Ena Sendijarevic.

O júri, com a atriz e realizadora brasileira Renata Ferraz, o realizador Tiago Figueiredo, o fotógrafo José Miguel Soares, a curadora Filipa Oliveira e a arte-terapeuta Patrícia Claudino, atribuiu ainda seis menções honrosas.

Os distinguidos foram “Import”, de Ena Sendijarevic, na categoria de ficção, “Água Mole”, de Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves, em documentário, “Lugar em Parte Nenhuma”, de Bárbara de Oliveira e João Rodrigues, em animação, “Estilhaços”, de José Miguel Ribeiro, no que toca a argumento, “Cidade Pequena” de Diogo Costa Amarante, na componente de fotografia, e Beatriz Brás, em “O Homem de Trás os Montes”, pela representação.

Já o Prémio do Público que assistiu ao certame foi para o filme de Gabriel Abrantes, “A Brief History of Princess X”.

O Festival Internacional de Curtas-Metragens de Évora foi organizado em parceria com a Câmara de Évora e contou com os apoios do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA), da Universidade de Évora e da Associação Académica.

Um total de 21 filmes, nas categorias de ficção, documentário e animação, esteve em competição nesta 14.ª edição, que incluiu sessões de cinema para as escolas e público infantil, assim como sessões para o público em geral, uma aula de formação e uma conversa sobre cinema e a região.

Comentários