Artigo

Frank Vincent: Morreu o "mafioso de serviço" do cinema e TV

O ator entrou em "Tudo Bons Rapazes" e na série "Os Sopranos", bem como muitos outros trabalhos sobre a máfia.

O ator americano Frank Vincent, presença constante em filmes e séries sobre a máfia, como "Tudo Bons Rapazes" e "Os Sopranos", faleceu esta quarta-feira nos Estados Unidos. Tinha 78 anos.

O estúdio HBO, "casa" de "Os Sopranos" (1999-2007),  publicou no Twitter as suas condolências: "A nossa família jamais esquecerá o legado de Leotardo", em referência a Phil Leotardo, chefe mafioso inimigo de Tony Soprano (James Gandolfini, falecido em 2013).

O site TMZ informou que Vincent morreu vítima de complicações após uma cirurgia ao coração em Nova Jersey, após sofrer um enfarto há uma semana.

A 'manager' do ator, Melissa Prophet, realçou que Vincent "traçava um caminho dinâmico e bem-sucedido em qualquer que fosse a área pela qual escolhesse enveredar, num esforço para promover novos talentos nas artes performativas".

Natural do estado de Massachusetts, Frank Vincent chamou a atenção de Martin Scorsese com o seu filme de estreia, "The Death Collector" (1976), onde encontrou pela primeira vez o ator Joe Pesci, com quem trabalhou nos três filmes que fez para o realizador: "O Touro Enraivecido" (1980), "Tudo Bons Rapazes" (1990) e "Casino" (1995).

Outros filmes na carreira foram "Iniciação ao Crime" (1984), "Os Espertalhões" (1986), "Não Dês Bronca" (1989), "A Febre da Selva" (1991) e, inevitavelmente, a animação "O Gang dos Tubarões" (2004), que fazia sátira aos filmes de mafiosos.

Em 2009,  disse ao NJ.com que a vida era boa apesar de ter sido estereotipado enquanto ator como "mafioso de serviço".

"Essa é a perceção de Hollywood. Precisam de um gangster, chamam o Frank ou o Joe [Pesci]. Um italo-americano? Frank ou Joe... é o que se é. Fiz outros papéis, mas por causa das minhas origens de Nova Jersey, encaixa perfeitamente fazer isso".

Comentários