Artigo

«Frozen» leva casal ao divórcio

É o mais recente «fait-divers» que a anda correr na internet: uma mulher divorciou-se do marido por achar que o facto dele não gostar do filme «Frozen - O Reino de Gelo» revelava muito do que ele era como ser humano.

O fenómeno mundial de «Frozen - O Reino de Gelo» continua a surpreender toda a gente. Após os 1,2 mil milhões de dólares de receitas em todo o mundo, os múltiplos prémios (incluindo dois Óscares), a projetada adaptação teatral e a banda sonora que se tornou praticamente viral, o filme teve agora uma consequência inesperada, que tem andado a gerar muitos comentários pela internet: um casal japonês divorciou-se em consequência de divergências em relação ao filme.

A notícia surgiu no portal da internet Kikonsha no Hakaba (que em tradução livre significará «O Túmulo das Pessoas Casadas»), frequentado por homens e mulheres com problemas matrimoniais, que ali expõem o que os aflige em busca de soluções. Foi aí que um utilizador anónimo de 31 anos revelou que a mulher se tinha separado dele por não partilharem a mesma paixão pelo filme «Frozen».

A esposa, seduzida pela película, tê-la-á ido ver várias vezes ao cinema, e quando o marido a acompanhou para perceber a razão de tal devoção, não terá ficado particularmente entusiasmado com o que viu, dizendo-lhe «acho que como filme é ok, mas pessoalmente não me diz nada», acrescentando ainda «mas achas que é mesmo assim tão bom?».

A pergunta, que terá sido feita de forma casaual, terá provocado uma reacção indignada na mulher, que lhe terá respondido «Se não consegues perceber porque é que este é um grande filme, há algo de errado contigo enquanto ser humano!». A discussão terá culminado no pedido de divórcio da mulher, que saiu de casa para ir viver com os pais, que estarão a tentar servir de intermediários na situação.

O homem revela que nada de errado se passara até então nos seis anos de casamento. Licenciado em Literatura Dinamarquesa, portanto familiarizado com o texto de Hans Christian Andersen que serviu de base ao filme, o recém-separado explicou ainda que tinha um rendimento anual muito confortável, possuía casa própria, e que a mulher, de 29 anos, nunca precisou de trablhar fora do lar.

O lamento foi colocado no site uma semana após a saída de casa da mulher, provocando uma série de reações indignadas no próprio forum e alastrando-se a seguir pela imprensa internacional.

Comentários