Artigo

«Grand Budapest Hotel» e «O Jogo da Imitação» ganham prémios dos argumentistas

Os filmes foram premiados pelo sindicado dos argumentistas dos EUA e colocam-se assim como os grandes favoritos nas suas categorias.

«Grand Budapest Hotel» e «O Jogo da Imitação» receberam um impulso na sua corrida aos óscares ao serem escolhidos como os melhores filmes pelo Sindicato de Argumentistas dos Estados Unidos (WGA, sigla em inglês).

O realizador Wes Anderson recebeu o prémio de melhor argumento original pela sua comédia sobre um «conciérge» que fica amigo de um funcionário em «Grand Budapest Hotel».

O filme, protagonizado por Ralph Fiennes, está nomeado em nove categorias dos Óscares no próximo domingo.

«Estou muito grato por receber este prémio», afirmou Anderson, que escreveu o argumento com Hugo Guinness.

Já «O Jogo da Imitação» foi escolhido pelo argumento adaptado escrito por Graham Moore a partir do livro «Alan Turing: The Enigma», que narra como o matemático britânico Alan Turing decifrou os códigos do regime nazi durante a Segunda Guerra Mundial, e ainda foi perseguido por sua homossexualidade.

Dirigido pelo norueguês Morten Tyldum e protagonizado por Benedict Cumberbatch e Keira Knightley, o filme é candidato a 8 estatuetas da Academia.

Os argumentistas também premiaram o melhor documentário, «The Internet's Own Boy: The Story of Aaron Swartz», uma história de Brian Knappenberger sobre um especialista em informática que se suicidou aos 26 anos.

A série dramática «True Detective» e a comédia «Louie» também foram premiadas na categoria de televisão.

O realizador espanhol Pedro Almodóvar recebeu a prémio de Melhor Argumentista Internacional pela sua trajetória profissional.

Ben Affleck, por sua vez, foi homenageado por seu trabalho humanitário no Congo.

Comentários