Artigo

IMAX em Lisboa: ver um filme ou fazer parte dele?

Portugal vai ter um cinema IMAX com projeção em 3D a partir de final de junho, com fitas como «Parque Jurássico» e «Homem de Aço». Andrew Cripps, o presidente da IMAX, explica ao SAPO Cinema o bê-á-bá deste super-formato.

É já a 20 de junho que abre a primeira sala de cinema IMAX DMR - Digital 3D em Portugal, que, ao contrário do que sucedia com o já desaparecido IMAX de Vila Franca de Xira, permite a projeção de filmes a três dimensões e a exibição de muitos dos grandes «blocksbusters» do circuito comercial. A aposta é da ZON Lusomundo Cinemas, em parceria com a IMAX, corp e a Sonae Sierra, e abrirá no Centro Comercial Colombo a 20 de junho. Na semana de estreia, a nova sala exibirá uma versão recriada em exclusivo para IMAX do filme «Parque Jurássico» e uma semana depois a estreia de «Homem de Aço», o novo filme de Super-Homem realizado por Zack Snyder.

O SAPO Cinema falou em exclusivo com Andrew Cripps, o atual responsável da IMAX Corporation na Europa, Médio Oriente e África, sobre as potencialidades do formato e o que poderemos ver no futuro em Portugal.

Quais são as maiores diferenças sentidas por um espetador que veja um filme num ecrã normal e numa sala IMAX?

Em IMAX, o espetador experiencia o filme de uma forma completamente diferente: tudo, desde o próprio filme até à tecnologia e ao desenho da sala, foi desenvolvido e costumizado para nos fazer sentir que fazemos parte da ação. A IMAX trabalha diretamente com os realizadores no sentido de melhorar a imagem e o som dos respetivos filmes através da utilização do nosso processo de remasterização digital ou da utilização das nossas câmaras com o máximo de alta resolução.

Os sistemas de projeção específicos da IMAX apresentam imagens de uma nitidez e limpidez extremas para criar uma tal experiência visual, em 2D ou 3D, que o espetador se esquece que está numa sala de cinema. Por outro lado, o sistema de som surround patenteado pela IMAX integra amplificadores alinhados com laser que permitem a experiência sonora mais potente, precisa e dinâmica possível.

Além disso, o IMAX cria a experiência de visionamento perfeita através da criação da própria sala, desde a forma ao local dos assentos, para explorar ao máximo as potencialidades do lendário ecrã IMAX, que é curvado e vai do chão ao teto, de parede a parede. O resultado é uma vista panorâmica que preenche toda a nossa visão periférica mais do que qualquer outra experiência cinematográfica e nos dá a sensação de fazer parte da ação.

O que faz a experiência IMAX não é apenas uma coisa mas uma combinação de todos estes elementos. Essa é a diferença entre ver um filme e fazer parte de um.

Até ao início do século XXI, a maioria dos filmes IMAX eram feitos diretamente para o formato e nunca eram exibidos em salas de cinemas normais. Após o lançamento de «Fantasia 2000», isso mudou e Hollywood começou a pensar neste formato para lançamentos especiais dos seus próprios «blockbusters». Como é que esta tendência se desenvolveu?

No passado, para um filme ser apresentado em IMAX tinha de ser filmado com as nossas câmaras IMAX. Hoje já não é assim. Enquanto hoje ainda há documentários e filmes de Hollywood que continuam a usar as nossas câmaras (tal como «Missão Impossível: Operação Fantasma», «O Cavaleiro das Trevas Renasce» ou os futuros «Star Trek: Além da Escuridão» e «The Hunger Games: Em Chamas»), nós desenvolvemos um processo de remasterização digital em 2002 que nos permite transformar quase qualquer filme ao formato IMAX, e isso possibilitou-nos alargar imenso o leque de oferta desde essa altura.

Hoje em dia, a IMAX passa horas, semanas e meses na rodagem e na sala de montagem com o realizador e as equipas técnicas de cada filme – a planear os planos, a remisturar o som, a ajustar interminavelmente a saturação, o contraste, a luminosidade e centenas de detalhes em cada fotograma.

Também houve certos «blockbusters» de Hollywood que têm sequências filmadas especificamente com câmaras IMAX e que só são mostradas nas salas IMAX. Ou seja, quem vir o filme numa sala IMAX tem cenas adicionais. ISto ainda acontece?

Sim, o Christopher Nolan foi o primeiro realizador a filmar parcelas de uma longa-metragem, «O Cavaleiro das Trevas», com as nossas câmaras de alta resolução. Desde então, isso também aconteceu, por exemplo, em «Transformers: Retaliação», «Missão Impossível: Operação Fantasma» e «O Cavaleiro das Trevas Renasce». Este ano estamos excitados pelo facto de tanto «Star Trek: Além da Escuridão» e «The Hunger Games: Em Chamas» terem cenas apenas filmadas em IMAX.

O IMAX que vai abrir em Portugal tem alguma especificidade em particular, por estar a ser construído num centro comercial?
Não propriamente, porque embora não haja um tamanho «standard» para o ecrãs IMAX, cada uma das salas IMAX é desenhada para criar a experiência mais imersiva possível e para fazer uso total dos nossos sentidos ao ver um filme. Cada sala IMAX tem todos os elementos da experiência IMAX, incluindo o maior ecrã IMAX possível que possamos encaixar fisicamente no auditório, uma sala desenhada para maximizar o nosso campo de visão, e a projeção e os sistemas de sons próprios do IMAX para dar sempre a melhor experiência sonora a visual possível.

O IMAX de Lisboa está a ser adicionado a uma nova estrutura integrada no centro comercial, por isso o auditório está a ser construído de propósito para acomodar o sistema IMAX.

Comentários