Artigo

Instituto do Cinema e Audiovisual já tem nova direção

Em menos de 24 horas, o Ministério da Cultura anunciou a nova equipa para o Instituto do Cinema e Audiovisual, depois da demissão pedida por Filomena Serras Pereira e Ana Costa Dias.

Luís Chaby Vaz, ex-chefe de gabinete de José António Pinto Ribeiro, antigo ministro da Cultura entre 2007 e 2009, e Fátima Mineiro, vão ser, respetivamente, o presidente e vice-presidente do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), informou o Expresso em primeira mão.

Esta equipa entra em funções a 1 de junho, na sequência do pedido de demissão apresentado por Filomena Serras Pereira e Ana Costa Dias na quarta-feira, altura em que o ministro da cultura, Luís Filipe Castro Mendes, referiu que eram necessários "novos rostos e novas figuras para um momento em que o sector vive alguma controvérsia" .

A anterior direção estava sob grande contestação por parte de várias associações do setor, no seguimento da escolha dos júris dos concursos de apoio financeiro e da política para o setor do cinema e audiovisual.

Em abril, quando foram aprovados os júris que decidem quais os projetos de cinema e audiovisual que recebem apoio financeiro, 14 associações do setor fizeram um protesto à porta do ICA e criticaram duramente a direção.

De acordo com a tutela, as duas responsáveis, que terminam o mandato no dia 31 de maio, "solicitaram a cessação das funções que exercem desde 15 de janeiro de 2014" e o pedido foi aceite.

Luís Chaby Vaz era atualmente consultor de empresas, mas no passado já foi subdiretor do Teatro Nacional de S. João, no Porto, e vogal do Conselho de Administração do Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa.

Segundo uma nota curricular, num comunicado em que se dá conta das nomeações do ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, explica-se que Luís Chaby Vaz é licenciado em Direito e trabalhou numa sociedade de advogados e num grupo empresarial de publicidade.

Foi também presidente do Conselho de Administração da Tobis Portuguesa, chefe de gabinete do então ministro da Cultura até 2010 e depois conselheiro cultural da embaixada de Portugal em Espanha.

Maria Cabral Alves Mineiro também é licenciada em Direito e foi técnica superior no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual.

Em 2013 integrou o gabinete do então secretário de Estado da Cultura (com áreas como o cinema e o audiovisual), e desde 2015 integrou o gabinete da Secretária de Estado da Cultura e posteriormente o gabinete do Secretário de Estado da Cultura do XXI Governo Constitucional, no qual exerce funções de adjunta nas áreas do cinema e audiovisual, do direito de autor e direitos conexos.

Há uma semana, abriram os  concursos de apoio financeiro referente a 2017, numa altura em que a tutela ainda está a negociar a alteração da regulamentação da lei do cinema e audiovisual.

Comentários