Artigo

James Bond contra as minas terrestres nas Nações Unidas

Numa cerimónia em Nova Iorque, Ban Ki-moon deu a a Daniel Craig uma «licença para salvar».

James Bond prepara-se para desempenhar um papel muito diferente do habitual.

Daniel Craig foi nomeado o primeiro embaixador global das Nações Unidas para a eliminação das minas e outros engenhos explosivos.

Numa cerimónia realizada na sede da organização em Nova Iorque, o secretário-geral Ban Ki-moon disse ao ator britânico: «Enquanto 007, tem uma licença para matar. Hoje, estamos a dar-lhe uma licença para salvar».

Mantendo-se no tema, o líder acrescentou: «Sou o oitavo secretário-geral, portanto sou o 008. Isso significa que lhe dei esse mandato para salvar».

Ban agradeceu a Craig pelo empenho na utilização da sua visibilidade enquanto figura pública para chamar a atenção para «a nobre causa da destruição de minas» e manifestou esperança que ajude a aumentar o apoio para a sua abolição.

O ator recordou na cerimónia como encontrou tão indesejável legado enquanto filmava no Cambodja: «Existiam muitas crianças. E sei que estava nervoso [com a existência das minas], mas não posso imaginar o que seria para os pais dessas crianças. Impede-as de ter uma existência normal, de seguir em frente e recomeçar, de recuperar as suas vidas».

A nomeação do ator durante três anos ocorre no âmbito do 10º aniversário do Dia Internacional de Consciencialização para o Perigo das Minas. Só no ano passado, a ONU, através da sua agência especializada, destruiu mais de 400 mil minas e restos de engenhos explosivos utilizados em guerras e duas mil toneladas de munição obsoleta.

Comentários