Artigo

Judi Dench regressa à corrida aos Óscares com «Filomena»

A história é verídica mas inacreditável: durante 50 anos, Philomena Lee guardou o segredo de que teve um filho, e agora que revelou a verdade, parte à procura dele. «Filomena» está nomeado a quatro Óscares, incluindo Melhor Filme e Atriz.

Martin Sixsmith é um jornalista especializado em política que está na mó de baixo e acaba de perder o emprego como consultor do governo. Para se reeguer, acaba por aceitar escrever uma história de «interesse humano» e acompanhar Philomena Lee, uma senhora de 70 anos, que acabara de revelar à filha que cinco décadas antes teve um filho que nunca mais viu. Numa Irlanda conservadora, ela foi fechada numa escola de freiras, que entregaram o bebé a uma família de adopção. Todas as tentativas posteriores de encontrar o seu paradeiro saíram frustradas, mas agora, com a ajuda de Sixsmith, ela retoma a busca e não vai parar até descobrir o que aconteceu ao filho.

No final, Sixsmith acabou por escrever um livro, «The Lost Child of Philomena Lee», que serviu de base a «Filomena», realizado por Stephen Frears e protagonizado por Judi Dench e Steve Coogan, que também assinou o argumento adaptado com Martin Pope.

O filme foi recebido com os mais rasgados elogios, e recebeu quatro nomeações aos Óscares, designadamente para Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Argumento Adaptado e Melhor Banda Sonora Original, de Alexandre Desplat. Dench ganhou o Óscar de Melhor Atriz Secundária em 1999 com «A Paixão de Shakespeare», foi nomeada outra vez ao mesmo troféu por «Chocolate» e mais quatro vezes à estatetueta de Melhor Atriz, por «Sua Majestade, Mrs. Brown», «Iris», «Mrs. Henderson» e «Diário de um Escândalo».

Comentários