Artigo

Leonardo DiCaprio vai ser advogado de suspeito de terrorismo

O ator vai juntar-se ao amigo de «O Lobo de Wall Street» Jonah Hill para contar o caso do atentado bombista dos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996. Paul Greengrass vai ser o realizador.

Depois de trabalharem às ordens de Martin Scorsese em «O Lobo de Wall Street», que lhes valeu nomeações para os Óscares, Leonardo DiCaprio e Jonah Hill vão juntar-se para um «thriller» cuja história tem lugar durante os Jogos Olímpicos de Atlanta de 1996. Desta feita, o realizador será Paul Greengrass, o mesmo de «Voo 93» e «Capitão Phillips».

Jonah Hill será Richard Jewell, um segurança que passou de herói a mau da fita depois do atentado bombista que teve lugar no parque olímpico a 27 de julho de 1996. Foi ele que descobriu a mochila com bombas artesanais e avisou as autoridades e ajudou a evacuar o maior número possível de pessoas da área.

O atentado matou uma espetadora e causou outra vítima de ataque cardíaco, além de 111 feridos e apesar das suas ações erem contribuído para salvar muitas vidas, no momento imediato à descoberta ele foi vilipendiado pela comunicação social e investigado pelo FBI como o suspeito «bombista solitário». Leonardo DiCaprio vai ser o advogado sulista que o vai defender.

Nunca formalmente acusado, o segurança foi eventualmente exonerado de responsabilidades em outubro desse ano e morreu de causas naturais em 2007, ainda a tempo de ver Eric Robert Rudolph confessar o seu envolvimento neste atentado em 2003, bem como noutros ataques semelhantes a clínicas de aborto e bares de homossexuais. Foi sentenciado a prisão perpétua.

O projeto, ainda sem título, baseia-se num artigo de 1997 de Marie Brenner para revista Vanity Fair, «American Nightmare: The Ballad of Richard Jewell» («Pesadelo Americano: a Balada de Richard Jewell»), e tem argumento de Billy Ray, que trabalhou com Greengrass na história do drama sobre pirataria contemporânea «Capitão Phillips».

Comentários