Artigo

Liberdade de expressão está em risco, alerta Robert Redford

A carismática estrela defendeu durante a abertura do Festival de Cinema de Sundance que existe um ataque à liberdade de expressão que não é exclusivo a Paris.

O ator e realizador americano Robert Redford afirmou esta quinta-feira, durante a abertura do Festival de Cinema Independente Sundance, que o ataque contra o jornal satírico francês Charlie Hebdo foi um «sinal de alerta» à liberdade de expressão.

Redford prometeu que o festival será «um lugar seguro» para os cineastas independentes.

«Existe um ataque à liberdade de expressão em vários lugares, não é exclusivo de Paris», afirmou na entrevista coletiva que teve lugar em Park City, no estado de Utah (centro-oeste dos EUA), que acolhe o festival.

O atentado ao jornal a 7 de janeiro que vitimou 12 pessoas «foi um acontecimento muito triste. De alguma forma, considero que foi um sinal de alerta», acrescentou.

«Acreditamos na diversidade e liberdade de expressão. Parece estar em perigo em muitos lugares, mas no que nos diz respeito estamos a fazer tudo o que podemos para a manter viva aqui. [Em Sundance] há muitos filmes que incomodam outras pessoas, mas tudo bem, é diversidade. É o que coloca as coisas a mexer, é inevitável», completou.

Redford observou ainda que, colocando o elemento financeiro de parte, cinema e televisão caminham juntas e que a segunda está a evoluir mais depressa do que a primeira, que, na sua perspetiva, tem vindo a encolher.

Entre 22 de janeiro e 1 de fevereiro serão exibidos cerca de 200 filmes no festival, o mais famoso do cinema independente. Robert Redford fundou o Sundance há 31 anos.

Comentários