Artigo

Luke Evans vai ser Drácula e o Corvo

A carreira de Luke Evans vai de vento em popa: além de participar nos próximos filmes da série «O Hobbit» e «Velocidade Furiosa», vai protagonizar «Dracula Year Zero» e o «remake» de «O Corvo», no original imortalizado por Brandon Lee.

O ator galês Luke Evans tem ganho popularidade em filmes de aventuras de época como «Confronto de Titãs» (como Apolo), «Robin Hood», «Os Três Mosqueteiros» (como Aramis) e «Imortais» (como Zeus). Este ano, vai continuar a surgir em «blockbusters» no papel do mau da fita de «Velocidade Furiosa 6» e do arqueiro Bard na segunda parte de «O Hobbit».

O salto para papéis principais vai dar-se a partir de 2014, com dois papéis de relevo: Drácula e o Corvo. Primeiro surgiu a confirmação de que ele será o intérprete principal de «Dracula Year Zero», que se foca nas origens do vampiro criado por Bram Stoker. Evans interpretará aí o verídico Príncipe Vlad da Transilvânia, que arrisca a própria alma para salvar a mulher e o filho da ameaça de um sultão, tornando-se assim no primeiro vampiro da história. Sam Worthington já esteve garantido no papel quando o projeto estava nas mãos de Alex Proyas, mas tudo mudou quando o realizador passou a ser Gary Shore, um profissional da publicidade que realizou a curta «The Draft».

Também muitas reviravoltas sofreu o «remake» de «O Corvo», adaptado da BD de James O'Barr, cuja primeira versão em cinema foi marcada pela morte acidental de Brandon Lee durante a rodagem. Em 2009, Stephen Norrington propôs-se a realizar a sua versão, com Mark Wahlberg como um dos nomes mais comentados para protagonizar, que depois saiu pelas habituais diferenças criativas com o estúdio. Em 2011, o espanhol Juan Carlos Fresnadillo ( «28 Semanas Depois») foi confirmado como realizador e saiu antes do final do mesmo ano.

Finalmente, entrou em cena outro cineasta espanhol, F. Javier Gutierrez, que assinou «3 Dias», e está agora garantido atrás das câmaras da nova versão da história do homem que regressa dos mortos para se vingar daqueles que o mataram a ele e à namorada.

Após o sucesso de «O Corvo» em 1994, sucederam-se três sequelas, todas elas com fracos resultados de bilheteira: «The Crow: A Cidade dos Anjos» (1996), com Vincent Pérez, «O Corvo: Pena Capital» (2000), com Eric Mabius, e «O Corvo: A Reencarnação» (2005), com Edward Furlong.

Comentários