Artigo

Mais de 20 cidades celebram «O Dia Mais Curto», dedicado às curtas-metragens

Mais de vinte cidades portuguesas associam-se no sábado à iniciativa internacional «O Dia Mais Curto», um programa de exibição de curtas-metragens, no dia mais curto do ano, do solstício de inverno.

O projeto, que nasceu em 2011, em França, chega no sábado a Portugal por iniciativa da Agência da Curta-Metragem, que convidou cineclubes, cineteatros, redes de exibição e bibliotecas a acolherem sessões de curtas-metragens portuguesas no dia mais curto do ano, que assinala a entrada no inverno.

«A ideia é dar a conhecer as melhores curtas-metragens feitas em Portugal nos últimos anos, permitir que sejam vistas por um maior número possível de espetadores», afirmou Nuno Rodrigues, da organização, à agência Lusa.
No total, serão quase 50 sessões de cinema em 23 cidades, como Braga, Barcelos, Almeirim, Lisboa, Porto, Funchal, Santo Tirso, Vila do Conde, Viseu, Tavira, Redondo e Sardoal.

Dos trinta filmes escolhidos, alguns pensados para crianças, a maioria é portuguesa e grande parte foi premiada em festivais internacionais.
«Gambozinos», de João Nicolau, «Vichy and Sam», de Nuno Rocha, «História Ttrágica com Final Feliz», de Regina Pessoa, «Viagem a Cabo Verde» e «Passeio de Domingo» (na imagem), de José Miguel Ribeiro, «North Atlantic», de Bernardo Nascimento, e «Os Olhos do Farol», de Pedro Serrazina, são alguns dos filmes selecionados.

Haverá ainda um programa intitulado "This is not a funny program", com curtas-metragens europeias.

Para Nuno Rodrigues, esta iniciativa - que tenta contornar a dificuldade de distribuição comercial de muitas das «curtas» portuguesas - é para repetir anualmente e alargar a mais espaços de exibição e a mais cidades.
«Queremos aproximar o formato das curtas-metragens do grande público», disse.

Além de Portugal, «O Dia mais Curto» vai acontecer em países como Espanha, Alemanha, Argentina, Cuba e Estados Unidos.

Comentários