Artigo

«Maze Runner», «Hunger Games», «Matrix»... as sociedades do futuro de fugir!

Seja em consequência do Apocalipse ou da simples evolução natural, as sociedades futuristas no cinema não se recomendam. O SAPO Cinema juntou algumas das mais sinistras.

Chegou às salas de cinema «Maze Runner - Correr ou Morrer». A história decorre num cenário pós-apocalíptico onde uma comunidade de rapazes se vê presa num labirinto misterioso sem perceber como foi lá parar e tudo fará para descobrir como escapar, resolver o enigma e revelar o arrepiante segredo acerca de quem os colocou ali e por que razão.

Baseado no primeiro romance de uma popular trilogia de James Dashner, «Maze Runner» é a mais recente representação de uma sociedade futurista distópica, na senda de filmes como «Os Jogos da Fome», «Divergente» ou «The Giver - O Dador de Memórias».

Em consequência de um apocalipse ou da simples evolução natural, na verdade o cinema tem representado praticamente desde a sua fundação as sociedades do futuro como distopias dominadas ou pela completa anarquia ou por um Poder, não necessariamente governamental e muito menos democrático, mas geralmente opressivo e sem escrúpulos no recurso à violência. Em comum: as condições de vida miseráveis, imperando a fome e a doença, onde os bens escassos estão na posse de uma seleção de poucos eleitos.

Do velhinho «Metropolis» a «Matrix» e «Relatório Minoritário», apresentamos apenas algumas das piores sociedades que é melhor conhecer apenas através do cinema.

Comentários