Artigo

MGM planeia nova versão de «Ben-Hur»

Os estúdios MGM estão a planear uma nova versão do clássico «Ben-Hur», que deu origem a dois dos maiores épicos do cinema, um em 1926 e o outrto em 1959, este último protagonizado por Charlton Heston e premiado com 11 Óscares.

O novo filme, baseado no romance de 1880 de Lew Wallace «Ben-Hur: A Tale of the Christ», conta com um guião de Keith Clarke, que também será produtor executivo, juntamente com Jason Brown. O «pacote» acordado pela MGM inclui ainda Sean Daniel e Joni Levin como produtores. «É uma das grandes histórias sobre amizade, traição e fé, que funciona como um grande «thriller» de ação para uma audiência global», disse, acerca do livro, Sean Daniel, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

O novo «Ben-Hur» pretende ser mais fiel ao livro que as anteriores adaptações, continuando a centrar-se no conflito entre o príncipe judeu Judah Ben-Hur e Messala, o filho de um cobrador de impostos romano, cuja relação de amizade que mantinham desde jovens se altera quando a visão que ambos têm do mundo entra violentamente em choque, com o primeiro a ser vendido como escravo. O novo projeto sublinhará também a história paralela de Jesus Cristo, que Ben-Hur vai encontrando ao longo da narrativa e cuja fé acabará por professar.

Além de uma versão de 15 minutos de 1907, «Ben-Hur» deu origem a dois grandes épicos do cinema, um de 1925 protagonizado por Ramon Novarro e o outro de 1959, com o protagonista encarnado por Charlton Heston.

Há ainda outros filmes de conteúdo bíblico esperados em Hollywood para breve, como «Pontius Pilate», com Brad Pitt como Pôncio Pilatos, dois sobre Moisés planeados por Steven Spielberg e Ridley Scott, e um sobre a Arca de Noé, de Darren Aronofsky, protagonizado por Russell Crowe.

Comentários