Artigo

Michael Caine: entre os «flops» e as obras-primas

De Laurence Olivier a Steven Seagal, Michael Caine já contracenou com alguns dos melhores e piores atores de sempre. Na celebração dos seus 80 anos, recordamos os clássicos e os «flops» do ator de «Alfie» e... «Tubarão 4».

Com mais de uma centena de filmes no currículo, Michael Caine, nascido em Londres a 14 de março de 1933, tem participado em filmes de qualidade muito variável, com muitos clássicos da Sétima Arte mas também muitos dos piores filmes da história. A quantidade de películas em que participou tem sido alvo de alguma paródia, tendo em conta nem sempre terá tido a atenção devido à qualidade dos mesmas, principalmente entre finais dos anos 70 e princípios da década de 90.

Com o seu característico sotaque «cockney», Michael Caine tornou-se um dos rostos mais emblemáticos do cinema britânico dos anos 60, década em que participou em clássicos como «Zulu» (o filme que o lançou), «O Caso Ipcress», «Alfie» ou «Um Golpe em Itália». Depois foi tendo sempre uma grande variedade de papéis em filmes da mais diversa ordem, desde os que se tornaram clássicos populares como «Fuga para a Vitória» até aos que lhe valeram os seus dois Óscares de Melhor Ator Secundário, «Ana e as suas Irmãs» e «Regras da Casa», passando pelas suas pequenas prestações em todos os últimos filmes de Christopher Nolan.



A partir da década de 70, Caine experimentou também o outro reverso da medalha, em filmes de pouco mérito, que se revelaram imensos «flops» comerciais. Claramente pensadas para fazer dinheiro rápido, fitas como «O Enxame», «Tubarão IV - A Vingança» ou «Em Terra Selvagem» (protagonizada e ainda por cima realizada por Steven Seagal) não têm justificação na carreira de um ator com o talentos de Michael Caine, que sempre falou deles com o bom humor que lhe é característico.

Comentários