Artigo

Miyazaki: Mestre da animação japonesa sai da reforma para fazer novo filme

A intenção já tinha sido anunciada, mas agora é oficial: depois da despedida em 2013, Hayao Miyazaki voltou atrás e vai mesmo fazer outra longa-metragem.

O mestre japonês do cinema de animação Hayao Miyazaki vai sair da sua reforma anunciada em 2013 para fazer um novo filme, anunciou esta sexta-feira o Studio Ghibli.

"Miyazaki decidiu abdicar da reforma e fazer uma longa-metragem de animação", explica o site da produtora do cineasta.

O estúdio, da qual ele foi um dos fundadores em 1985, destacou que o cineasta, 76 anos, "encontrou um tema que vale a pena transformar num filme", antes de destacar: "Será realmente o seu último filme por causa da sua idade".

Hayao Miyazaki anunciou em setembro de 2013 que não voltaria a dirigir filmes de animação para o cinema, mas que não deixaria de trabalhar.

"Vou continuar a comparecer no estúdio todos os dias. O meu sonho é descansar aos domingos. Inclusive, interrogo-me se isto será possível", declarou na época à imprensa.

"Serei um homem livre. O que desejar fazer, farei", acrescentou.

Hayao Miyazaki recebeu vários prémios, incluindo o Óscar de Melhor Filme de Animação em 2003 por "A Viagem de Chihiro", que também foi o primeiro filme de animação da história a receber o Urso de Ouro no Festival de Berlim.

O japonês também foi premiado com um Leão de Ouro em Veneza em 2005 pela sua carreira e com um Óscar honorário em 2014.

Entre os seus filmes mais conhecidos estão "A Princesa Mononoke", "O Meu Vizinho Totoro", "O Castelo Andante" e "As Asas do Vento", o mais recente, de 2013.

Miyazaki iniciou a carreira de 1963. A sua primeira animação em longa-metragem, "Rupan sansei: Kariosutoro no shiro", é de 1979. Tornou-se um cineasta de culto com "Nausicaä do Vale do Vento" (1984), antes de cofundar o Studio Ghibli, o primeiro de animação no Japão.

Comentários