Artigo

Morreu o cineasta espanhol Vicente Aranda

O realizador de filmes como «Amantes» e «Carmen» faleceu aos 88 anos.

O cineasta espanhol Vicente Aranda, diretor de filmes como «Amantes» e «Carmen», faleceu esta terça-feira aos 88 anos.

A informação foi anunciada pela Academia de Cinema da Espanha.

Nascido a 9 de novembro de 1926 em Barcelona, Aranda iniciou a carreira nos anos 1960 e dirigiu mais de 20 filmes, incluindo «Amantes» (1991), protagonizado por Maribel Verdú, Jorge Sanz e Victoria Abril, premiado com o Goya de melhor filme e melhor realizador.

Pelo papel, Victoria Abril também foi premiada no Festival de Berlim.

Aranda dirigiu adaptações de livros famosos, como «La Muchacha de las Bragas de Oro» (79), do autor Juan Marsé, e o policial «Asesinato en el Comité Central» (82), do escritor Manuel Vázquez Montalbán.

Aranda era considerado «um dos grandes» do cinema espanhol, criador de complexas personagens femininas em filmes marcados pelo erotismo e paixões. O realizador foi responsável pelo início da carreira de atrizes como Victoria Abril e Maribel Verdú.

Admirado por cineastas como o americano Quentin Tarantino, que considera «A Ensaguentada Noiva de Drácula» (1972) um de seus «filmes de referência», Aranda começou a carreira na chamada Escola de Barcelona, versão espanhola da Nouvelle Vague que 10 anos antes revolucionara o cinema francês.

Vanguardista e incompreendido pelo público, o seu segundo filme, «Fata/Morgana» (1965), teve uma boa recepção da crítica.

O sucesso chegou alguns anos mais tarde, com filmes como «Cambio de sexo», de 1977, que tinha uma ainda adolescente Victoria Abril.

«Libertárias» (96), «Joana - A Louca» (01) e «Carmen» (03) foram outros dos trabalhos do cineasta que se despediu no grance ecrã em 2009 com o thriller «Luna Caliente».

Comentários