Artigo

Morreu o realizador de «À Procura de Sugar Man»

O realizador sueco Malik Bendjelloul, que ganhou o Óscar em 2013 pelo documentário «À Procura de Sugar Man», morreu na terça-feira, aos 36 anos, tendo-se alegadamente suicidado, disse hoje o seu irmão à imprensa.

“Posso confirmar que se trata de um suicídio e que ele estava deprimido já há algum tempo”, disse Johar Bendjelloul ao jornal Aftonbladet.

“A vida nem sempre é fácil. Estive perto dele todo o tempo, até ao fim”, afirmou a Johar Bendjelloul, que é jornalista na rádio pública sueca, Sveriges Rádio.

“É a pior coisa, não sei como gerir isto”, lamentou o irmão do realizador.

Em 2013, Malik Bendjelloul venceu o Óscar de Melhor Documentário com «À Procura de Sugar Man», financiado pelo próprio realizador e através de empréstimos feitos por amigos.

O filme conta a história de Sixto Rodriguez, músico norte-americano de ascendência mexicana, de 70 anos e nascido em Detroit, teve uma curta e discreta carreira na música nos anos 1970, editando apenas dois álbuns.

«À Procura de Sugar Man» valeu a Malik, além do Óscar, mais de 20 prémios, entre estes um BAFTA, da academia britânica, e a distinção do Sindicato dos Realizadores norte-americanos.

O filme de Bendjelloul foi igualmente saudado no Festival Sundance 2012, no qual ganhou o Prémio do Público, assim como o Prémio Especial do Júri como melhor documentário estrangeiro.

Filho de pai argelino e mãe sueca, o realizador nasceu em 1977, na pequena cidade de Ystad (sul do país), e residia em Estocolmo.

Bendjelloul produziu documentários de música para a televisão sueca, onde também trabalhou como jornalista. Entretanto partiu em viagens. Numa dessas viagens conheceu a história de Sixto Rodriguez.

Comentários