Artigo

Novo filme de Pedro Costa em destaque no Festival de Locarno

O novo filme do realizador português Pedro Costa, «Cavalo Dinheiro», vai estrear no Festival de Cinema de Locarno, que decorre a partir de quarta-feira, na cidade suíça.

O festival, este ano na 67.ª edição, vai ter 17 filmes a competir pelo Leopardo de Ouro, entre os quais o de Pedro Costa, e quatro projetos cinematográficos de Moçambique e Angola, exibidos no programa «Open Doors».

«Cavalo Dinheiro», concluído em 2014, conta com os desempenhos de Ventura, ator que tem trabalho em vários filmes de Pedro Costa, Vitalina Varela e Tito Furtado, e tem estreia mundial em Locarno, cinco anos após «Ne Change Rien», documentário do realizador, sobre a cantora Jeanne Balibar.

O filme regressa ao universo de Fontainhas, depois da trilogia composta por «Ossos», «No quarto de Vanda» e «Juventude em marcha», e será exibido em Locarno nos dias 13, 14 e 15 de agosto.

Em competição, está também o brasileiro Gabriel Mascaro, com o filme «Ventos de Agosto».

Presente no festival, mas extraconcurso, está igualmente Edgar Pêra, com a estreia de «Lisbon Revisited» (2014), filme em 3D inspirado em Fernando Pessoa.

A representação portuguesa também vai estar na secção Cineastas do Presente, para primeiras e segundas obras, através da Rosa Filmes, que coproduziu o documentário «Songs from the North», da sul-coreana Soon-Mi Yoo.

Na seção «Open Doors 2014», fórum de apoio à produção, este ano dedicado à África subsariana, serão exibidos fora de competição filmes do brasileiro Ruy Guerra e de Ruy Duarte de Carvalho, escritor, antropólogo e cineasta angolano de origem portuguesa, que assina «O Recado das Ilhas».

Nesta secção serão apresentados 12 produções de cinema africano, em língua portuguesa e inglesa, em busca de parceiros internacionais.

Entre os selecionados estão «Aleluia», do angolano Zezé Gamboa, «Heart and fire», do realizador moçambicano Sol de Carvalho, «Kula: A Memory in Three Acts», do moçambicano Inadelso Cossa, e «The Train of Salt and Sugar», do brasileiro Licínio de Azevedo, radicado em Moçambique.

Foram ainda selecionadas produções da Zâmbia, África do Sul, Ruanda e Gana.

Os melhores projetos de cinema no «Open Doors», que decorre de 9 a 12 de agosto, receberão prémios monetários, entre os 5.000 e os 40.000 euros, e três produtores africanos terão oportunidade de participar no festival de Cannes, em 2015.

O realizador italiano Gianfranco Rosi - Leão de Ouro de Veneza 2013, com «Sacro GRA» - preside o júri da competição internacional, que integra ainda os realizadores Thomas Arslan e Yiao Dinan, e as atrizes Alice Braga e Connie Nielsen.

O Prémio de Carreira do festival vai distinguir o ator alemão Armin Mueller-Stahl, conhecido por filmes como «Um amor na Alemanha» e «Anjos e demónios», e o realizador de origem polaca Roman Polanski, que exibe a sua última longa-metragem, "Venus de Vison", receberá o Prémio Especial de Locarno. A atriz Juliette Binoche recebe o Prémio Excelência.

As homenagens estendem-se aos estúdios italianos Titanus, aos realizadores Agnès Varda e Victor Erice, ao inventor da «steadycam», Garrett Brown, ao produtor de Hong Kong Nansun Shi e aos atores Jean-Pierre Léaud e Mia Farrow.

O Festival Internacional de Cinema de Locarno abre com o filme «Lucy», de Luc Besson, com Scarlett Johansson e Morgan Freeman, e encerra a 16 de agosto, com a entrega dos prémios oficiais, os Leopardos de ouro e prata.

Em 2013, o «E agora? Lembra-me», de Joaquim Pinto, recebeu o Prémio Especial do Júri.

Comentários