Artigo

«Os Gatos não têm Vertigens» dominam Prémios Sophia em noite de homenagem a Oliveira

Filme de António-Pedro Vasconcelos recebeu nove prémios numa noite dominada por evocações ao falecido mestre do cinema, enquanto «Os Maias», de João Botelho, foi distinguido em sete categorias.

«Os Gatos não têm Vertigens» recebeu o prémio Sophia para melhor filme de 2014, atribuído pela Academia Portuguesa de Cinema.

Nomeado em 14 categorias, o filme foi distinguido em nove, destacando-se ainda os atribuídos ao realizador António-Pedro Vasconcelos e aos atores Maria do Céu Guerra e João Jesus.

«Os Maias», de João Botelho», que chegara com 13 nomeações à gala, conquistou sete prémios Sophia, incluindo os que valorizaram os trabalhos dos atores secundários João Perry e Maria João Pinho.

«E Agora? Lembra-me», de Joaquim Pinto, foi considerado o Melhor Documentário em Longa-Metragem.

A cerimónia de entrega dos Prémios Sophia, realizada na sexta-feira à noite no Centro Cultural de Belém, abriu com uma homenagem da Academia ao mestre Manoel de Oliveira, que falecera ao fim dessa manhã aos 106 anos, através do presidente da associação, Paulo Trancoso, que declarou: «Queremos lembrá-lo, hoje e sempre».

O cineasta esteve ainda presente em vários discursos, incluindo o enviado pelo encenador e um dos seus atores de eleição, Luís Miguel Cintra, que partiu para as cerimónias fúnebres no Porto e deveria ter aceite um Sophia pela sua carreira, em conjunto com Eunice Muñoz.



LISTA DE PREMIADOS

MELHOR FILME: «Os Gatos não têm Vertigens»

MELHOR REALIZADOR: António-Pedro Vasconcelos («Os Gatos não têm Vertigens»)

MELHOR ATOR: João Jesus («Os Gatos não têm Vertigens»=

MELHOR ATRIZ: Maria do Céu Guerra («Os Gatos não têm Vertigens»)

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO: João Perry («Os Maias»)

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA: Maria João Pinho («Os Maias»)

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL: Tiago Santos («Os Gatos não têm Vertigens»)

MELHOR DIREÇÃO ARTÍSTICA: «Os Maias»

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA: «Os Maias»

MELHOR MONTAGEM: «Os Gatos não têm Vertigens»

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL: «Os Gatos não têm Vertigens»

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: Clandestinos do Amor, de Ana Moura («Os Gatos não têm Vertigens»)

MELHOR SOM: «Os Gatos não têm Vertigens»

MELHOR GUARDA ROUPA: «Os Maias»

MELHOR CARACTERIZAÇÃO/EFEITOS ESPECIAIS: «Os Maias»

MELHOR MAQUILHAGEM E CABELOS: «Os Maias»

MELHOR DOCUMENTÁRIO (LONGA-METRAGEM): «E Agora? Lembra-me», de Joaquim Pinto

MELHOR DOCUMENTÁRIO (CURTA-METRAGEM): «O Meu Outro País», de Solveig Nordlund

MELHOR CURTA-METRAGEM DE FICÇÃO: «Encontradouro», de Afonso Pimentel

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO: «Fuligem», de David Doutel e Vasco Sá


PRÉMIOS CARREIRA: Eunice Muñoz e Luís Miguel Cintra

Comentários