Artigo

Os Óscares não são só para maiores de 18

Com apenas nove anos, Quvenzhané Wallis tornou-se a mais jovem nomeada de sempre ao Óscar de Melhor Atriz, por «Bestas do Sul Selvagem», que acaba de estrear. Mas houve mais crianças nomeadas e até vencedoras da tão cobiçada estatueta dourada.

Não há idades mínimas nem máximas para se receber um Óscar, e as nomeações deste ano refletem isso: Quvenzhané Wallis, com nove anos, é a mais jovem nomeada de sempre ao Óscar de Melhor Atriz, e Emmanuelle Riva, com 85 primaveras, é a mais idosa de sempre nomeada na mesma categoria, pelo filme «Amor». Se a idade avançada é coisa corrente nas várias categorias da Academia, só nas quatro categorias de interpretação é que tem havido nomeados (e até vencedores) com menos de 18 anos de idade.

Tatum O'Neal tem a distinção de ser a artista mais jovem a ter recebido um Óscar em competição, em 1974, aos 10 anos, como Melhor Atriz Secundária por «Lua de Papel». Quanto a nomeações, Justin Henry é o mais jovem nomeado de sempre, ao ser designado, aos oito anos, em 1980, ao Óscar de Melhor Ator Secundário por «Kramer contra Kramer».

Mas ao longo de 85 anos, já são alguns os jovens a serem nomeados em categorias interpretativas. Na categoria de Melhor Ator, Jackie Cooper foi nomeado em 1931 por «Proezas de Skippy», quando tinha apenas nove anos, e Mickey Rooney foi nomeado aos 19 anos por «De Braço Dado» em 1940. Antes dos 20 anos, como Melhor Atriz, além de Quvenzhané Wallis foi também nomeada Keisha Castle-Hughes, aos 13 anos, por «A Domadora de Baleias», em 2004.

Nas categorias de interpretação secundária, as listas de artistas nomeados abaixo dos 20 anos é mais vasta. Na de Melhor Ator Secundário, além do já referido recordista Justin Henry, foi também nomeado Haley Joel Osment no ano 2000, aos 11 anos, por «O Sexto Sentido»; Brandon de Wilde em 1954, também com 11 anos, pelo «western» «Shane»; Jack Wild em 1969, aos 16 anos, pelo musical «Oliver!»; Sal Mineo em 1956, aos 17 anos, pelo incontornável «Fúria de Viver»; River Phoenix em 1989, aos 18 anos, por «Fuga sem Fim»; e Leonardo DiCaprio em 1994, aos 19 anos, por «Gilbert Grape».

Como Melhor Atriz Secundária, Anna Paquin não só foi nomeada como também venceu o Óscar em 1994 por «O Piano», sucedendo o mesmo com Patty Duke em 1963, que venceu aos 16 anos por «O Milagre de Anne Sullivan». Aliás, nesta categoria, a lista de nomeados sub-18 é a mais vasta de todas: Mary Badham em 1963, aos 10 anos, por «Na Sombra e no Silêncio»; Quinn Cummings em 1973, também aos 10 anos, por «Não Há Dois, sem Três...»; Abigail Breslin em 2007, ainda com 10 anos, por «Uma Família à Beira de um Ataque de Nervos»; Patty McCormack em 1957, aos 11 anos, por «The Bad Seed»; Saoirse Ronan em 2008, aos 13 anos, por «Expiação»; Bonita Granville em 1937, aos 14 anos, por «Três Corações Iguais»; Hailee Steinfeld em 2011, também aos 14 anos, por «Indomável»; e a inesquecível Jodie Foster em 1977, ainda aos 14, por «Taxi Driver».

Além dos troféus em competição, a Academia também atribuiu até 1961 Óscares honorários juvenis, com uma dimensão mais reduzida (cerca de 18 centímetros de altura), a intérpretes com menos de 18 anos que se tivessem distinguido de forma especial na indústria no ano anterior. A primeira premiada foi a então super-estrela Shirley Temple, em 1934, aos cinco anos, que é, ainda hoje, a pessoa mais jovem a ganhar uma estatueta dourada.

Seguiram-se Deanna Durbin aos 17 anos e Mickey Rooney aos 18, ambos em 1938, Judy Garland aos 17 anos em 1939 (o ano de «O Feiticeiro de Oz»), Margaret O'Brien aos oito anos em 1944 (o ano de «Não há como a Nossa Casa»), Peggy Ann Garner aos 14 anos em 1945, Claude Jarman Jr. aos 12 anos em 1946 (o ano de «O Despertar»), Ivan Jandl aos 12 anos em 1948 (especificamente pela sua interpretação em «Anjos Marcados»), Bobby Driscoll aos 13 anos em 1949, Jon Whiteley aos 10 anos e Vincent Winter aos sete anos em 1954 (especificamente pelo filme «Raptores»), e Hayley Mills aos 14 anos em 1960, a premiar a sua prestação no filme «Pollyanna».

Comentários