Artigo

Ouvir pela boca do próprio: como David Fincher olha para os seus filmes

De «Alien 3» a «Em Parte Incerta», passando por «Seven» e «Clube de Combate». David Fincher falou dos seus filmes, do que queria fazer e do que não resultou.

«Em Parte Incerta», o mais recente filme de David Fincher que tem os melhores trabalhos das carreiras de Ben Affleck e Rosamund Pike, já está nas salas de cinema portuguesas.

Depois da aclamação dos críticos, posiciona-se para ser um sucesso comercial que o catapultará para a corrida aos prémios de cinema que começam a ser atribuídos no final do ano.

Fincher fez 10 filmes em 22 anos, mas está a aumentar o ritmo: cinco estrearam desde 2007 e ainda encontrou tempo para deixar a sua marca na série «House of Cards», onde reencontrou um velho cúmplice, Kevin Spacey.

O realizador está, pois, numa fase muito confortável na sua carreira, em que finalmente os filmes que sempre fez como quis são valorizados pela crítica, público e principalmente pelos colegas na indústria.

Nem sempre foi assim: de facto, a sua carreira podia ter acabado praticamente antes de começar, por causa da problemática rodagem do seu primeiro trabalho, «Alien - A Desforra» (1992), que durante muitos anos recusou discutir e chegou a renegar.

Mas até isso mudou nos últimos anos, os da consagração com «O Estranho Caso de Benjamin Button» (2008) e «A Rede Social» (10), e durante a campanha de promoção de «Em Parte Incerta», David Fincher falou livremente sobre a sua carreira e o SAPO Cinema reuniu as melhores citações.

Comentários