Artigo

"Planeta dos Macacos": Efeitos especiais vencem a guerra

A saga que começou em 2011 termina com "Planeta dos Macacos: A Guerra", que mostra a incrível sofisticação a que chegaram os efeitos especiais.

César está pronto para a guerra: macacos contra humanos no terceiro e último capítulo da saga de ficção científica, cujos efeitos especiais são considerados por alguns os mais impressionantes da história do cinema.

"Planeta dos Macacos: A Guerra" estreou esta semana em Portugal.

Por detrás destes símios que parecem reais está a Weta Digital, estúdio de imagens feitas por computador (GGI na sua sigla em inglês), fundada por Peter Jackson, cuja reputação não parou de crescer desde a sua estreia de sucesso na saga "O Senhor dos Anéis".

Filmado nas montanhas inóspitas de Alberta e Colúmbia Britânica, no Canadá, o realizador Matt Reeves mostra macacos evoluídos num mundo rapidamente a aquecer de raiva e divisões.

Um grupo de soldados liderados pelo coronel Kurtz - papel de Marlon Brando, interpretado agora por Woody Harrelson - lança um ataque com o objetivo de destruir os macacos de uma vez por todas.

O filme mostra mais uma vez Andy Serkis no papel de César, pelo qual recebeu mais elogios do que outros personagens digitais, incluindo o Gollum de "O Senhor dos Anéis" e King Kong.

"Fisicamente neste filme, César anda mais ereto e usa bastante as mãos, é mais um humano na pele de um símio", explica Serkis nas notas de produção.

"Mas à medida que se torna mais inteligente e habilidoso, os seus sentimentos e as suas recordações tornam-se mais difíceis de carregar", acrescenta.

Como nos outros filmes, Serkins vestiu um fato cinzento com pontos de reconhecimento facial para capturar todos os movimentos, gestos e emoções do seu símio.

O ator, de 53 anos, que muitos acreditam que merece um Óscar por esses papéis pioneiros, sempre defendeu que não há diferença entre interpretar vestindo um fato de captura digital e fazê-lo com guarda-roupa e maquilhagem.

"Você não está ali apenas à espera de ver a magia acontecer. Não está simplesmente a representar um personagem, você é o personagem", declarou num programa transmitido pela Fox.

"Planeta dos Macacos: A Guerra" mostra uma dúzia de personagens-chave macacos que interagem de forma cada vez mais sofisticada, não só entre si, mas com o ambiente.

Ver artigo completo

Comentários