Artigo

Primeira Mulher-Maravilha diz que James Cameron é uma "pobre alma"

O realizador voltou a insistir nas críticas ao filme com Gal Gadot e agora Lynda Carter pede para ele parar.

A polémica em redor de "Mulher-Maravilha" voltou a aquece e agora graças à intervenção direta da primeira Diana Prince, a atriz Lynda Carter.

Em agosto, o realizador James Cameron disse que o filme era "um passo atrás" e não é um progresso na forma como são retratadas as personagens femininas nos filmes de Hollywood, antes pelo contrário.

Na altura, a realizadora Patty Jenkins reagiu, dizendo que "a incapacidade de James Cameron de perceber o que é 'Mulher-Maravilha', ou o que representa para as mulheres de todo o mundo, não é surpreendente porque, embora ele seja um grande cineasta, não é uma mulher" e que acreditava que "as mulheres podem e devem ser TUDO, tal como os personagens masculinos devem ser".

Esta quarta-feira, o homem por detrás da saga "Exterminador Implacável" e ainda "Aliens", "Titanic" e "Avatar" insistiu, garantindo que mantinha tudo o que disse apesar da controvérsia, insistindo que a versão de Gal Gadot não tinha nada de revolucionário.

Há poucas horas chegou a resposta e e logo da primeira Mulher-Maravilha, Lynda Carter, que aconselhou a "a pobre alma" simplesmente a parar de falar.

Nas redes sociais, a estrela da série televisiva exibida entre 1975 e 1979 disse a Cameron sem rodeios que "não percebe a personagem".

"Para James Cameron. PARE de criticar 'Mulher-Maravilha': sua pobre alma. Talvez não perceba a personagens. Eu certamente que percebo. Como todas as mulheres - somos mais do que a soma das nossas partes. Os seus ataques brutais a uma realizadora brilhante, Patty Jenkins, são ignorantes. Este filme acertou em cheio. Gal Gadot foi excelente. Eu sei, senhor Cameron - porque tenho representado esta personagem há mais de 40 anos. Portanto - PARE COM ISSO".

Desta vez, Patty Jenkins não respondeu a James Cameron: ela assinou um contrato revolucionário que a tornará a realizadora mais bem paga de Hollywood para escrever, produzir e dirigir a sequela, que chegará aos cinemas a 13 de dezembro de 2019.

Comentários