Artigo

Realizador António-Pedro Vasconcelos distinguido com Prémio Carreira da SPA

O realizador António-Pedro Vasconcelos foi distinguido com o Prémio Consagração de Carreira pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), revelou hoje a entidade à agência Lusa.

De acordo com o diretor do Gabinete Cultural e de Relações Institucionais, Rui Negrão, o prémio foi atribuído «pelo trabalho de António-Pedro Vasconcelos em prol do audiovisual em Portugal». O Prémio Consagração de Carreira foi criado pela SPA em 1994 e já distinguiu, entre outros, Matilde Rosa Araújo, Raul Solnado, Fernando Lopes Graça, e Carlos Paredes.

Realizador e crítico de cinema, António-Pedro Vasconcelos, 74 anos, nasceu em Leiria, estudou na Faculdade de Direito de Lisboa, e em Paris, onde frequentou um curso de Filmologia na Sorbonne. Nos anos 1969 trabalhou em publicidade, e realizou alguns documentários, como «A Indústria Cervejeira em Portugal» (1967), «Exposição de Tapeçaria» (1968) e «Fernando Lopes-Graça» (1971).

Foi fundador do Centro Português de Cinema, e rodou a sua primeira longa-metragem em 1973, «Perdido por Cem...», seguindo-se outras obras que marcaram a carreira do realizador, como «Adeus Até ao Meu Regresso» (1974), «O Lugar do Morto» (1984), «Os Imortais» (2003), «Call Girl» (2007) e «A Bela e o Paparazzo» (2010).

Em 1999, com o filme «Jaime», sobre a exploração do trabalho infantil, ganhou o Prémio Especial do Júri no Festival Internacional de Cinema de San Sebastian.

Ao longo da carreira foi também montador, coargumentista e produtor executivo, e de 1991 a 1993 foi presidente do Secretariado Nacional para o Audiovisual, e ao Conselho de Opinião da RTP.

Foi também professor da Escola de Cinema do Conservatório Nacional e coordenador executivo da licenciatura em Cinema, Televisão e Cinema Publicitário da Universidade Moderna de Lisboa.

António-Pedro Vasconcelos foi um dos rostos de um movimento contra a privatização da televisão pública criado no ano passado. O galardão, no valor de 2.500 euros, vai ser entregue formalmente numa cerimónia prevista para o dia 22 de maio, Dia do Autor, na Sala Galeria Carlos Paredes, na SPA, às 18h00.

Nessa cerimónia será anunciado o Grande Prémio de Teatro da SPA, e entregue o Prémio Pró-Autor, instituído em 2009 para homenagear entidades, órgãos de informação, jornalistas, organizações e autores que se destacaram na promoção e na divulgação da cultura e dos agentes culturais e na defesa dos direitos de autor.

Comentários