Artigo

Realizador de «A Gaiola das Malucas» morre aos 85 anos

O realizador francês Edouard Molinaro, diretor de «A Gaiola das Malucas» e «L'Emmerdeur», morreu neste sábado em Paris aos 85 anos, divulgaram os seus assessores.

Edouard Molinaro fez a tarimba no cinema de curta-metragem antes de se estrear na longa em 1958, com o policial «Le Dos au Mur». Muito produtivo, Molinaro foi tendo sempre grande sucesso de público na década de 60, com um cinema comercial nos antípodas da «Nouvelle Vague» que então dava que falar no mundo, de que são exemplos as comédias que fez com Louis de Funés, como «Oscar» e «O Avozinho Congelado».

O seu estilo pessoal começou a tornar-se mais vincado a partir do final da década, mas o sucesso quase não o abandonou durante os 30 anos seguintes, com filmes como «Mon Oncle Benjamin» (1969), com Jacques Brel e Claude Jade, e 1969, «L'Emmerdeur» (1973), com Brel e Lino Ventura (de que Billy Wilder faria um «remake» em 1981, «Amigos da Onça»), e «Dracula père et fils» (1976), com Christopher Lee.

A sua carreira atingiu o auge em 1978, com a adaptação para o cinema da peça teatral «A Gaiola das Malucas», com Michel Serrault e Ugo Tognazzi, um sucesso tão grande que lhe valeu a nomeação ao Óscar de Melhor Realizador e Melhor Argumento, e que daria origem a duas sequelas e um «remake» americano.

A morte de Molinaro acontece 15 dias depois da de outro grande nome do cinema francês, o realizador Georges Lautner.

Comentários