Artigo

Rússia adere à moda dos super-heróis no cinema

Um grupo de quatro heróis cheios de super-poderes defende a pátria de ameaças sobrenaturais. Há algo aqui fora do habitual? Sim, os super-heróis são soviéticos e o filme, cheio de efeitos especiais, pretende ser a resposta russa à invasão de fitas do género americanas.

“The Guardians” (ou “Os Guardiões”) é a tradução internacional que tem estado a ser assumida para “Zaschitniki”, o novo filme do arménio Sarik Andreasyan, que apresenta as aventuras de um grupo de super-heróis russos durante a Guerra Fria, representativos das tradições dos vários povos da União Soviética.

Um deles tem a habilidade de mover a terra à sua vontade, outro consegue transformar-se numa espécie de urso, outro ainda é mestre de artes marciais e manipula lâminas com uma precisão inultrapassável, e o elemento feminino do grupo controla a água com o pensamento.

Todos trabalham para uma organização secreta do governo, que lhes alterou o ADN e os treinou para lidar com ameaças sobrenaturais à nação soviética.

O realizador tem currículo de sucesso no cinema russo, com filmes como “The Pregnant”, que lhe abriu as portas do cinema internacional, onde se estreou com o thriller “American Heist” (2014), com Hayden Christense e Adrien Brody.

A estreia na Rússia de “The Guardians” está agendada para fevereiro de 2017.

VEJA O TRAILER:

Comentários