Artigo

"Transformers": Optimus Prime chegou ao Cais do Sodré

A poucos dias da estreia em Portugal de "Transformers 5: O Último Cavaleiro", Optimus Prime chegou à estação de Metro do Cais do Sodré graças a um desafio aceite pelo artista plástico Bordalo II.

Optimus Prime,  o líder dos Autobots na saga "Transformers", está em Lisboa.

Tudo graças a a um desafio colocado a Bordalo II para construir a sua visão de uma das personagens mais icónicas da cultura popular mundial.

O artista português, que cria obras de arte a três dimensões em paredes usando desperdícios como matéria-prima, inaugurou esta sexta-feira a obra na estação de Metro do Cais do Sodré, em Lisboa, que antecipa a estreia de "Transformers 5: O Último Cavaleiro" a 22 de junho, realizado por Michael Bay e com Mark Wahlberg e Anthony Hopkins.

Com quatro metros de altura e três metros de largura, o imponente Optimus Prime, segundo Bordalo II, “foi um desafio que aceitei porque, apesar de não seguir a linha das minhas obras, não deixa de ser uma oportunidade de construir algo diferente e reforçar uma importante mensagem ecológica. Além disso, falamos duma personagem icónica que remete para a minha infância”.

Em exposição até dia 25 de Junho, a personagem na versão de Bordalo II tem mais uma particularidade: uma planta nas mãos em vez da sua fiel espada. 

“A decisão de não colocar uma arma nas mãos da obra passa pela mensagem que quero transmitir com a mesma – será que para auxiliar o nosso planeta, necessitamos mesmo de ajuda extraterrestre, ou está nas nossas mãos conseguirmos salvar a Terra?”, refere Bordalo II, que sublinhou ainda a importância de não criar apenas uma simples representação de Optimus Prime, mas sim uma obra que possua uma mensagem relevante.

Nascido em Lisboa, em 1987, Bordalo II aplica, nas obras que faz, uma mensagem de sustentabilidade e alerta para o consumismo e para o limite dos recursos que o ser humano usa e desperdiça.

Já assinou várias exposições individuais, desde 2011, e integrou exposições coletivas e festivais de arte urbana em Portugal e noutros países, nomeadamente Estados Unidos, Alemanha e Nova Zelândia.

Comentários