Artigo

Vencedor do Nobel retratado em «Uma Mente Brilhante» morre em acidente

O matemático americano John Nash, de 86 anos, famoso pelo seu trabalho sobre a teoria dos jogos e prémio Nobel de Economia em 1994, morreu num acidente de automóvel.

O matemático americano John Nash, de 86 anos, famoso pelo seu trabalho sobre a teoria dos jogos e prémio Nobel de Economia em 1994, morreu no sábado com a esposa num acidente de trânsito na costa leste dos EUA, anunciou a polícia.

Nash e a mulher, Alicia Nash, retratados no filme «Uma Mente Brilhante» (2001), foram lançados para fora de um táxi depois do motorista ter perdido o controlo do veículo numa estrada de New Jersey, segundo a polícia. John Nash tinha 86 anos e sua esposa Alicia, 82.

«Os passageiros do táxi foram lançados para fora e morreram no sábado», afirmou à AFP o sargento Gregory Williams.

De acordo com o agente, o motorista «perdeu o controlo» do veículo e bateu numa barreira de segurança na margem da estrada.

John Nash e outro matemático, Louis Nirenberg, descritos como «dois gigantes do século XX» da disciplina, receberam a 25 de março o prémio Abel de Matemáticas.

Os dois foram recompensados «pelas suas contribuições fundamentais e absolutamente notáveis à teoria das equações em derivadas parciais não lineares, assim como suas aplicações à análise geométrica», segundo a Academia Norueguesa de Ciências e Letras.

John Nash fez carreira na Universidade de Princeton e no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), onde conheceu a esposa, a física Alicia Esther Lopez-Harrison de Lardé (que simplificou o nome para Alicia Nash), que teve um papel decisivo na sua vida.

Em «Uma Mente Brilhante», dirigido por Ron Howard, a sua personagem é interpretada por Russell Crowe. O filme descreve, ao mesmo tempo, o génio matemático e sua esquizofrenia, que o levou a imaginar a existência de um agente federal americano.

Este agente teria proposto a Nash ajudar, em sigilo, o governo dos EUA a decifrar mensagens de espiões russos na imprensa.

Depois de uma hospitalização e da ajuda da mulher, Nash conseguiu controlar o problema e dar continuidade à sua carreira.

Os dois casaram-se em 1957 e divorciaram-se no início dos anos 60, mas mantiveram o contacto. Décadas mais tarde, em 2001, casaram-se novamente.

Russell Crowe disse na sua conta do Twitter que estava comovido pela morte de Nash. «Comovido... os meus pensamentos estão com John e Alicia e sua família. Foi uma colaboração extraordinária. Eram espíritos excepcionais, de grande coração», escreveu o ator.

Christopher L. Eisgruber, presidente da Universidade de Princeton, onde Nash trabalhou e elaborou a sua tese sobre a teoria dos jogos, elogiou os «notáveis trabalhos de John, que inspiraram gerações de matemáticos, economistas e cientistas».

O ministro grego das Finanças, Yanis Varufakis, também professor de economia, que conheceu Nash pessoalmente, comentou que ele foi «uma fonte de inspiração».


A teoria dos jogos

Com a sua teoria dos jogos nas empresas, publicada em 1950 e pela qual partilhou o prémio Nobel de Economia em 1994 com o economista americano John Harsanyi e o alemão Reinhard Selten, demonstrou que sempre há um «equilíbrio» entre os jogadores - conhecido com o nome de «equilíbrio de Nash»-, já que ninguém pode modificar a sua estratégia sem enfraquecer os seus benefícios.

A Agência de Segurança Nacional (NSA) organizou em 2012 uma exposição sobre John Nash, que propôs ao organismo desenvolver uma máquina para decifrar mensagens.

John Nash nasceu a 13 de junho de 1928 em Bluefield, Virginia Ocidental (leste), filho de pai engenheiro, que foi enviado à França durante a Primeira Guerra Mundial, e mãe professora, que ficou parcialmente surda após uma doença. Tinha uma irmã, Martha.

Comentários